Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
Publicações

Chamada para Dossiê da Revista Idéias: "As vertigens do sujeito no marxismo"

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Antropologia, Chamada para artigos, Ciência Política, Demografia, Filosofia, História, Sociologia

Chamada para Dossiê (segundo semestre de 2019) - "As vertigens do sujeito no marxismo - olhares contemporâneos sobre uma questão clássica"

"As vertigens do sujeito no marxismo - olhares contemporâneos sobre uma questão clássica"

O percurso da noção de sujeito na história do pensamento ocidental obedeceu a sentidos os mais diversos e elusivos. No marxismo, especificamente, esse polissêmico tópico foi conduzido, no entanto, para dar resposta sobretudo a duas questões: de um lado, a de se há um sujeito histórico ativo na instauração e na manutenção de um sistema de dominação; de outro, a questão de se é possível um sujeito revolucionário que se contraponha efetivamente a isso. Canonicamente, ao longo do século XX, viu-se o debate em torno dessas questões se atualizar entre defensores da importância analítica e prática da ação humana consciente - que no mais das vezes indicaram como seus sujeitos privilegiados certos coletivos específicos (proletários urbanos, camponeses, partidos, intelectuais, trabalhadores em geral, não-trabalhadores etc.) - e defensores de posições alternativas, que preferiram dar conta da ordem capitalista e de sua superação pela análise de estruturas e processos avessos àquele modelo de subjetividade. Mais contemporaneamente, parte da produção filosófica, sociológica, antropológica e historiográfica tem atualizado a questão, dando foco às dinâmicas de racialização, às trajetórias aquém e além do Estado nacional, às marcações de gênero, geracionais, de capacidades, de humanidade e não-humanidade, ou mesmo às fissuras e negações disso.

A fim de explorar os incontornáveis desafios que a noção de sujeito põe ainda ao marxismo e ao pensamento de Karl Marx, convidamos pesquisadoras e pesquisadores a contribuírem para este dossiê com artigos que explorem os limites e as potências desse debate. 

Os eixos temáticos sugeridos para as contribuições são:

1. Pesquisas acerca dos possíveis sentidos da noção de sujeito em Marx após a MEGA².

2. Diálogos críticos entre as leituras mais ou menos estabelecidas de Marx no século XX que sejam centrados na noção de sujeito (p.ex. Diamat, os humanismos marxistas, a teoria crítica frankfurtiana, o estruturalismo marxista, a Neue Marx-Lektüre, a Wertkritik e a dissociação-valor).

3. Desenvolvimentos das críticas e adesões pós-estruturalistas ou desconstrucionistas à noção marxista de sujeito (a partir de autoras e autores como Jean-François Lyotard, Gilles Deleuze, Michel Foucault, Jean Baudrillard, Jacques Derrida, Julia Kristeva e Luce Irigaray, dentre outros).

4. Debates da questão do sujeito no marxismo valendo-se de contribuições feministas, queer, anti-racistas, pós- e decoloniais, pós-humanistas, animalistas, ecologistas, anti-capacitistas, anti-idadistas ou ligadas a outros movimentos sociais relacionados.

5. Explorações da pertinência ou não da noção de classe social para uma reflexão sobre o sujeito (tais como as realizadas pela assim chamada New Left ou por autores mais ou menos identificados com o marxismo, como Charles Wright Mills, Edward Palmer Thompson, Norbert Elias e Pierre Bourdieu).

6. Reflexões sobre a construção, desconstrução e reconstrução do sujeito pela estética (tomando por base indicações de Herbert Marcuse, Raymond Williams, Guy Debord ou Frederic Jameson).

7. Reflexões recentes sobre sujeito não-centrado e política (a partir de autores como Antonio Negri, Alain Badiou, Jacques Rancière, Etienne Balibar e Slavoj Žižek, entre outros).

Além de artigos, serão bem-vindas também resenhas, traduções e entrevistas que dialoguem com esses eixos temáticos. A publicação ocorrerá no segundo semestre de 2019. O prazo para recebimento de propostas é 4 de agosto de 2019.

A Idéias recebe também artigos de temática livre, que são recebidos em fluxo contínuo. Os artigos submetidos à seção livre devem estar circunscritos ao escopo da revista, isto é, compreendidos no âmbito das disciplinas Antropologia, Sociologia, Ciência Política, Demografia, Filosofia ou História.

Submissões até: 4 de agosto de 2019

Para submeter sua contribuição acesse:

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas