Quarta-feira, 08 de Abril de 2020
Formação

Curso «Descolonizando Saberes. A Partir de Narrativas Orais, Urbanas e Digitais»

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Estudos Afro-Brasileiros, Literatura, Media

Descolonizando Saberes a Partir de Narrativas Orais, Urbanas e Digitais: Brasil e África em Diálogo — 4ª Edição 
26 & 27/10 — das 13H30 às 17H30 Faculdade de Letras - UFRJ 

Ministrante: Drª Mauren Pavão Przybylski PNPD/Capes — Pós-Critica/ UNEB
Coordenadora: Drª Maria Teresa Salgado (UFRJ)

Ementa

O curso Descolonizando saberes a partir de narrativas orais, urbanas e digitais: Brasil e África em diálogo, que teve sua primeira edição ministrada por mim, em maio de 2016, na Universidade de Coimbra, originou-se em um primeiro, intitulado As possibilidades da narrativa oral: o digital, o urbano, o tradicional e suas intersecções, e que teve a presença, também como ministrante, da professora Drª Ana Lucia Liberato Tettamanzy (UFRGS), em Junho de 2015, na UNEB, Campus II. Nossa discussão embasou-se no que permeia nossas pesquisas, as poéticas orais, pensando sempre nos pontos de contato e afastamento entre letra e voz. Nosso curso partiu da experiência da escuta de cantos e narração oral de histórias populares por entendermos ser possível, somente a partir delas, perceber as dimensões corporais e coletivas da performance, em que a recepção é criativa e o contexto intervém na construção dos sentidos. A partir daí nosso curso estruturou-se em três encontros temáticos com uma perspectiva descolonial, que selecionou teorias, obras e suportes para ampliação do cânone literário a partir da produção da diferença. A "zona de contato" (PRATT, 1999 ) é o lugar preferencial dessas criações em espaços e conflitos, hierarquias e tensões. 

Nesta mesma linha, o Descolonizando Saberes pretende, a partir da perspectiva dos povos tradicionais, da literatura afro-brasileira e em certa medida do digital e intermidiático demonstrar a possibilidade da legitimação desses saberes e a necessidade de se descolonizar o proprio cânone, ampliando as possibiliades de compreensão do literário. Em um primeiro encontro o curso pretenderá discutir, a partir do pós-colonialismo, de uma visão eurocêntrica versus uma visão latino-americana, a importância da aplicabilidade do saber descolonial na visão que se tem de narrativa. No segundo momento, a perspectiva dos povos tradicionais, as produções afrobrasileiras e o digital serão apresentados tendo em vista os laços com a memória, com a história africanas e com temas como ancestralidade, tradição e contemporaneidade pós-colonial. O digital se fará presente, a partir do estabelecimento do conceito de narrador urbano, com o intuito de ampliar a visão que se tem sobre narrativa, voltando o olhar para sujeitos que não necessitam do papel, da história contada ou da imagem para se legitimarem, mas que podem se inscrever na sociedade a partir da junção de todas essas possibilidades, do que se conhece como hipermídia.

Objetivos

  1. Compreender os principais modos de expressão poética e narrativa das sociedades que mantém ativos os mecanismos da voz e da memória experimentados em práticas sociais e comunitárias. 
  2. Ampliar a perspectiva teórica e crítica a partir de um recorte descolonial, em que identidades étnicas e grupos sociais subalternizados recriam e descentram as poéticas ocidentais. 
  3. Possibilitar novas formas de compreensão do narrador e da narrativa, a partir do estabelecimento do conceito de narrador oral urbano-digital.


Inscrições pelo e-mail: teresa@atlanticaedu.com.br 
  
Período de inscrições: de 01 a 15/10/2016. 
20 vagas ( sendo 10 reservadas aos alunos da UFRJ). 
Serão emitidos certificados de 8 horas aula. 
O programa, contendo os textos a serem lidos, será disponibilizado até 15 dias antes do curso.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas