Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020
Financiamento/bolsas/emprego

Grande Prémio Sonangol da Literatura 2016

Países: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe

Literatura, Prémios

O “Grande Prémio Sonangol da Literatura” vai premiar com 50 mil dólares americanos (cerca de quatro mil contos) a melhor obra literária ou de investigação de escritores dos Países Africanos da Língua Oficial Portuguesa, PALOP, em 2016. A obra vencedora do concurso ganha ainda direito a publicação de dois mil exemplares.
 
O anúncio foi tornado público durante o lançamento deste galardão no auditório da Biblioteca Nacional na Cidade da Praia, por uma delegação angolana presidida pela administração da Sonangol e secretário-geral da União dos Escritores Cabo-verdianos, referenciada como parceira exemplar desta empresa petrolífera angolana neste evento cultural.
 
A Academia Cabo-verdiana de Letras foi a anfitriã desta cerimónia, tendo o seu presidente, Corsino Fortes, revelado a importância deste prémio, ressalvando que tem servido para a consagração de escritores no espaço dos PALOP.
 
Já o secretário-geral da União dos Escritores Angolanos, Carmo Neto, fez questão de destacar que o prestígio do prémio estaria beliscado se “brilhantes herdeiros da literatura de Cabo Verde ficassem de fora”.
 
A este propósito considera que os escritores cabo-verdianos têm o ADN de figuras como José Evaristo Almeida, Jorge Barbosa, Baltazar Lopes, Manuel Lopes, Manuel Ferreira, Gabriel Mariano, Ovídio Martins de entre outros nomes como Amílcar Cabral, autor do poema “Regresso”.
 
Instituído pela Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, Sonangol, o “Grande Prémio Sonangol da Literatura” realiza-se de cinco em cinco anos com o objetivo de distinguir qualitativamente obras literárias ou de investigação inéditas, publicadas e entregues impreterivelmente no período entre 1 de Janeiro a 30 de Março de 2015 na União dos Escritores Angolanos, em Luanda.
 
À luz do regulamento, o “Grande Prémio Sonangol da Literatura” será atribuído à melhor obra selecionada, por um corpo de jurados de sete integrantes, nos géneros de poesia, ficção, colectânea de contos, novela, romance ou literatura infantojuvenil e ensaio.
 
O júri será composto por sete elementos em representação da União dos Escritores de Angola, pela empresa patrocinadora, Ministério da Cultura de Angola e dos representantes dos demais países dos PALOP, nomeadamente, Associação dos Escritores de Cabo Verde, Associação dos Escritores da Guiné Bissau, União dos Escritores de Moçambique e da União dos Escritores e Artistas de São Tomé e Príncipe.
 
O concurso literário foi criado pela Sonangol, em 1987, com a colaboração da União dos Escritores Angolanos e já vai na sua 12ª edição, com o investigador e historiador cabo-verdiano João Filho a vencer a última edição do prémio com a obra “Percursos & Destinos”.
 
Em 2003 a poetisa crioula Vera Duarte venceu ex-áqueo com o também poeta angolano Adriano Botelho de Vasconcelos o Prémio Sonangol de Literatura 2003, com a obra A Candidata, sendo que em 2006 Cabo Verde voltaria a ganhar o Prémio com o escritor António Ludgero Andrade com a obra literária Fidalgo Preto.
 
Inforpress/Fim

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas