Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Publicações

Iberic@l – Chamada de artigos para o número 17: Margens de Eros nas Artes e Letras afro-luso-brasileiras

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento:

Arte, Chamada para artigos, Estudos Luso-Afro-Brasileiros, Letras

Iberic@l – Chamada de artigos para o número 17

Margens de Eros nas Artes e Letras afro-luso-brasileiras

Número dirigido por Maria Araújo da Silva e Fernando Curopos (CRIMIC)

Sorbonne Université-CRIMIC

Prazo de entrega: 15 de dezembro de 2019

A literatura em língua portuguesa nascida com o lirismo trovadoresco surge já permeada por um certo erotismo nas cantigas de amigo, revestindo-se de contornos pornográficos ou obscenos nas cantigas de escárnio e de maldizer. Embora “imorais”, essas cantigas integram o cânone literário, legitimadas pela academia e pelo discurso crítico. Ora, se esse mesmo discurso académico reconhece o episódio da “Ilha dos Amores” (Os Lusíadas) como um texto erótico de relevo, muitos outros, escritos na época e nos séculos seguintes, terão sido descartados, esquecidos ou mesmo apagados por vários mecanismos de censura ou autocensura. Sendo que pouco se tem escrito sobre erotismo, pornografia ou sexualidade em língua portuguesa, o número 17 da revista Iberic@l, tem como objetivo resgatar textos, obras (pintura, fotografia, filmes, histórias em quadrinhos/banda desenhada, música), autores, artistas, discursos e práticas marginais ou marginalizados no espaço artístico e literário afro-luso-brasileiro.

Sob o prisma da margem, poderão ser contempladas as seguintes dicotomias:

  • erotismo / pornografia

  • canónico / marginal

  • dizível / indizível

  • “em cena”/ “ob-sceno” (Linda Williams)

  • normal / anormal

  • hetero / homo

  • belo / kitsch e trash

  • mainstream / marginal

  • fálico / “contra-sexual” (Paul Preciado)

Serão privilegiados artigos que focam, quer em termos discursivos quer representativos, a produção artística em torno das margens da sexualidade, a pornografia, a subversão das categorias de género, o poder político e transformador da paródia obscena, o camp, a pornochanchada, a pornografia gay e lésbica, a “contra-sexualidade” (Beatriz Preciado), a cibersexualidade, as estéticas trash ou kitsch como instrumentos que desafiam normas e práticas regulatórias de género e sexualidade.

Língua de publicação: português, francês, espanhol, inglês (avaliação por pares duplo-cego).

Normas de publicação: http://iberical.paris-sorbonne.fr/page-d-exemple/normes-de-publication/

Endereço de envio dos artigos: mariasilva01@hotmail.com / curoposfernando@yahoo.fr

Mais informações: http://iberical.paris-sorbonne.fr/appel-a-articles/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas