Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
Publicações

Chamada para Portuguese Cultural Studies Vol. 8, Issue 1 (2020)

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Estados Unidos

Chamada para artigos, Estudos Africanos, Estudos Culturais, Estudos Portugueses, Literatura

Portuguese Cultural Studies

Chamada para Portuguese Cultural Studies Vol. 8, Issue 1 (2020)

 

Organizadores: Sandra Sousa, José Ornelas, Paulo de Medeiros

Prazo para submissão: até 1 de agosto de 2020.

Previsão de publicação: novembro de 2020.

 

A revista Portuguese Cultural Studies convida à submissão de artigos com enfoque na literatura portuguesa colonial, com ênfase especial, mas não exclusivo, em Angola e Moçambique.

Os temas podem incidir nos seguintes aspectos relacionados com a problemática colonial ou o encontro/desencontro de culturas na África:

  • Práticas hegemónicas, sociais, culturais e económicas;
  • Relações assimétricas de poder entre colonizadores e colonizados: questões de estratificação cultural e social;
  • A problemática de identidade: a exclusão do outo (o negro) e o não reconhecimento do outro como sujeito do seu próprio mundo;
  • Configurações dicotómicas e diferenciadas do espaço africano;
  • Uma visão de África que privilegia quase sempre o ponto de vista português sobre o mundo africano e raramente o dos povos africanos sobre o seu mundo;
  • Negação da realidade africana;
  • Práticas e objectivos da missão civilizacional portuguesa; a relação desta missão com o white man’s burden;
  • Violação do espaço africano e do corpo do outro;
  • Colonização como forma de penetração e de violência sexual;
  • Hierarquização social, racial e cultural;
  • Aculturação e deculturação da população indígena;
  • A focalização no romance colonial sobre a legitimidade de práticas portuguesas de dominação devido à sua superioridade racial e cultural e à inferioridade do outro;
  • África como espaço exótico e erótico sem qualquer organização social e política;
  • O outro como ser ingénuo ou selvagem, por conseguinte, dependente do homem branco para transformar a sua realidade e o seu mundo de acordo com normas e valores europeus (ascendência, portanto, para o africano na escala civilizacional);
  • Construção artificial de barreiras entre colonizadores e colonizados que causam estratificação social e segregação racial entre uns e outros que servem sobretudo para beneficiar os colonizadores e salvaguardar os seus interesses;
  • Lógica que legitima a ação política e epistémica do colonialismo português;
  • A brutalidade do encontro/ desencontro colonial e cultural entre portugueses e africanos;
  • O não reconhecimento dos valores, crenças, conhecimento, cultura, experiências, e história do outro;
  • A importância fundamental de uma visão eurocêntrica na construção da realidade do mundo africano;
  • Relação entre o colonialismo e o imperialismo;
  • Negação da dignidade humana;
  • Repressão, opressão, domínio, violência, tirania, terror, medo, transgressão, intimidação, deterritorialização, violação, demonização, dehumanização, barbárie, genocídio, epistemicídio, resistência, apropriação e exploração (todas palavras relacionadas com práticas colonizadoras)

Os artigos podem ser submetidos em português ou inglês e respeitar as regras editoriais da revista: https://scholarworks.umass.edu/p/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas