Terça-feira, 29 de Setembro de 2020
Publicações

Chamada para artigos da revista Em tempo de Histórias que organiza o dossiê "História e cinema"

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Comunicação, Direito, História, Media

Em Tempo de Histórias (ISSN 2316-1191), revista editada pelo corpo discente do Programa de Pós-Graduação em História da UnB, recebe artigos para o seu próximo dossiê que terá como tema “História & Cinema”. O prazo máximo para o envio é o 18 de setembro de 2020. As submissões podem ser feitas em português, inglês e espanhol.

Eixo temático

O cinema como obra de arte, mercadoria e potente meio de comunicação de massas tem se configurado como documento histórico rico em possibilidades aos(às) historiadores(as) interessados(as) em estudar as formações políticas, as ideologias e os imaginários coletivos dos séculos XX e XXI, desde as primeiras proposições lançadas por Marc Ferro na década de 1970. Segundo Ferro (1976), uma “contra-análise” da sociedade permitiria a leitura de questões latentes ligadas ao poder político situado em contextos históricos específicos.

Na década de 1990, consolidaram-se, no Brasil, abordagens incorporando as proposições iniciais de Ferro, ou apontando para outras direções. Entre tais referenciais, cabe ressaltar as contribuições de uma sociologia do cinema elaborada por Pierre Sorlin (1985), que chamou a atenção para a necessidade de uma análise das formas cinematográficas e do contexto social de produção. Assim, propõe pensar como a articulação entre som e imagem atua na construção audiovisual da história narrada produzindo sentidos, a chamada análise interna, que deve estar articulada à análise externa do filme, ou seja, ao contexto histórico de produção das imagens. Para Sorlin, um filme é sempre um documento sobre a relação de uma sociedade no tempo presente determinado com o seu passado histórico.

Já as reflexões de Raymond Williams (1979), a partir da perspectiva do materialismo cultural, nos possibilitam pensar o cinema como linguagem e prática social de produção de significação entrelaçada aos processos sociais de produção da vida social e material. Além dessas perspectivas de abordagens, podemos citar os Estudos de Gênero e os Estudos Decoloniais que têm ampliado as possibilidades de análise do cinema.

O cinema, desse modo, permite a ampliação ou a colocação de novas perguntas à experiência histórica iniciada com a revolução científico-tecnológica do final do século XIX, relacionada ao processo de crescimento das cidades. Esse processo pode ser problematizado a partir das questões que envolvem a construção de novas sensibilidades e gostos por meio da produção e circulação de imagens em movimento.  Também permite produzir conhecimento sobre a memória, as representações simbólicas e o imaginário social através dos chamados filmes históricos, dos filmes de arquivo, dos filmes educativos; filmes concebidos a partir da narrativa clássica dentro das convenções do cinema de gênero e do melodrama, assim como os filmes de autor e o cinema experimental.

A partir da concepção do cinema como fonte histórica que deve ser interrogada a partir da especificidade da linguagem cinematográfica, da história do cinema e das tradições cinematográficas, do contexto histórico e cultural de produção, assim como das formas de circulação e consumo das imagens,  o dossiê “História & Cinema” busca acolher pesquisas concluídas ou em andamento que investiguem a produção da história, da memória e do imaginário político no cinema nacional ou estrangeiro, nas mídias analógicas ou digitais. São bem-vindos trabalhos elaborados no bojo de diferentes perspectivas teóricas, mas que concebam os filmes como ponto de partida para a análise, evitando-se a abordagem dessa produção como mera ilustração de um saber histórico prévio e exterior a elas.

O cinema também tem se constituído em um importante instrumento didático para a educação e o ensino de História. Assim, também buscamos dar visibilidade a pesquisas sobre o uso didático do cinema em diferentes contextos históricos, assim como a reflexão sobre experiências pedagógicas concretas de usos do cinema nas aulas de História.

Dessa maneira, a investigação do cinema em diferentes suportes e plataformas, a partir dos seus elementos intrínsecos que busca o diálogo interdisciplinar na produção de conhecimento histórico articulado às esferas do social, da cultura e da política forma o escopo desse dossiê.

Organizadora: Profa. Dra. Angela Aparecida Teles (Doutora em História Social e Professora do ICHPO/UFU).

Mais informações na página da revista Em tempo de Histórias.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas