Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020
Publicações

Chamada da Revista Crioula para dossiê n. 25: Literaturas de língua portuguesa para crianças e jovens

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Estudos Comparatistas, Literatura, Literatura Infantil e Juvenil

A Revista Crioula, publicação eletrônica dos alunos do Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo, aceita, para o seu vigésimo quinto número, colaborações de pesquisadores do Brasil e do exterior. O tema do dossiê será "Literaturas de língua portuguesa para crianças e jovens".

Os artigos enviados que apresentarem tema diferente ao proposto para o dossiê poderão compor a seção “Artigos & Ensaios”. Serão aceitos também resenhas, entrevistas e pequenos textos ficcionais em prosa e poemas, desde que estejam de acordo com as normas de publicação da revista.

Prazo para submissão de textos originais: até 17/05/2020

Ementa:

A literatura para crianças e jovens têm preenchido um espaço importante nos estudos literários produzidos nos países de língua portuguesa, o que é resultado de um conjunto de ações que vai desde a ampliação do escopo para estudos do gênero nos Programas de Pós-Graduação até o esforço de editores e autores. Esse últimos muitas vezes investindo financeiramente em projetos de publicação para que suas pesquisas cheguem ao público por meio de coletâneas e outros formatos, a fim de colocarem seus estudos em espaços de circulação mais amplos do que os periódicos científicos. Na intenção de acompanhar o que se tem pesquisado na referida área, o dossiê do número 25 da Revista Crioula será dedicado aos estudos das literaturas de língua portuguesa para crianças e jovens. Serão aceitos trabalhos que, de alguma maneira se relacionem com a temática anunciada, a partir de abordagens e perspectivas diversas:  crítica e teoria que envolvem a literatura infantil e juvenil; ampliação da fortuna crítica de autores e autoras que miraram esse público, ou que o atingiram sem mirá-lo diretamente, pelas características e particularidades de suas obras; práticas de leitura que tal literatura exige para que a recepção dos leitores se realize de modo significativo, em espaços educacionais ou não; revisão de questões históricas acerca da literatura infantil e juvenil a partir de outros olhares; questões do mercado editorial; diálogos possíveis entre os países de língua portuguesa; aspectos raciais, de gênero e sexualidade; ou por tantos outros modos que os pesquisadores lançam mão para ampliar o referido campo de estudo.

Mais informações: https://www.revistas.usp.br/crioula/announcement/view/858

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas