Sábado, 20 de Julho de 2019
Notícias

Do manuscrito ao espetáculo: a coleção de teatro de António José de Oliveira

Início: Fim: Países: Portugal

Teatro, Arquivos

Do vasto panorama teatral do século XVIII, emerge a figura de António José de Oliveira, que, entre pelo menos 1780 e 1797, copiou mais de 200 textos de teatro, conservados em 34 volumes na Biblioteca Nacional de Portugal.
 
São, sobretudo, traduções/adaptações realizadas por autores portugueses – Alexandre António de Lima, António José de Paula, Francisco José Freire, José Anastácio da Cunha, Luís Inácio Henriques, Manuel de Sousa, Tomé Joaquim Gonzaga Neves, Vicente Carlos de Oliveira, etc. – de originais espanhóis, franceses, italianos, ingleses e helvéticos – Álvaro Cubillo de Aragón, José de Cañizares, Pedro Calderón de la Barca, Apostolo Zeno, Carlo Goldoni, Filippo Livigni, Giovanni Battista Guarini, Pietro Metastasio, Diderot, Jean Racine, Jean-Baptiste Rousseau, Molière, Voltaire, Edward Young, Salomon Gessner, entre outros. Os originais portugueses são em menor número e trazem à memória nomes como António Ferreira, António José da Silva, Domingos dos Reis Quita, Jerónima Luísa da Silveira, João Xavier de Matos e Teresa de Mello Breyner.
 
Os textos, cujos géneros vão do pastoral, passando pela ópera, comédia, drama, burleta, tragédia, até à farsa e tragicomédia, foram representados em diversos teatros de Lisboa, tais como o do Bairro Alto, o da Rua dos Condes, e, a partir de 1793, o Teatro de São Carlos.
 
Esta coleção manuscrita da BNP constitui inestimável contributo para aferir da vitalidade da indústria teatral portuguesa na segunda metade do século XVIII.
 
MOSTRA | 1 out. - 31 dez. | Sala de Referência | Entrada livre
 
Comissária: Isabel Pinto, Centro de Estudos de Comunicação e Cultura
 
BNP
Cópia autógr. de António José de Oliveira de "Comedia nova intitulada O verdadeiro amigo" de Carlo Goldoni, 1782 [http://purl.pt/16497]

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas