Sábado, 24 de Agosto de 2019
Investigação/projetos

Capela Ultramarina lança o álbum “A Cantar uma Cantiga”

Países: Brasil

Música

A Capela Ultramarina divulga o lançamento do álbum “A Cantar uma Cantiga”, que foi um dos projetos contemplados pelo ProAC-Editais, do Governo do Estado de São Paulo.

Nesse álbum abordam um repertório de cantigas e vilancetes do século XVI, todos escritos sobre textos em português, provenientes do manuscrito conhecido como Cancioneiro de Paris.

A Capela Ultramarina surgiu em 2000, por ocasião das comemorações pelos 500 anos do descobrimento do Brasil. Seu objetivo é buscar nossas raízes a partir da música feita na península ibérica e, especialmente em Portugal no período das grandes navegações. Observar os ecos desta música em nossas tradições, assim como identificar os pontos de contato musicais que ainda unem estes dois povos separados pelo Atlântico, também é uma das metas do grupo. Desde então, a Capela Ultramarina vem buscando mostrar em seus concertos a importância da língua portuguesa cantada como elemento preponderante na formação de uma identidade cultural brasileira.

Dirigida por Fábio Vianna Peres, a Capela Ultramarina reúne em seus concertos cantores e instrumentistas com ampla experiência no campo da interpretação histórica da música do passado.

“A Cantar uma Cantiga”, Concerto e CD

Com “A Cantar uma Cantiga” a Capela Ultramarina propõe uma reflexão sobre a formação da identidade cultural brasileira a partir de um de seus traços mais marcantes: o idioma. Esse trabalho condensa quase vinte anos de pesquisas e atuação do grupo e selecionou entre as obras do cancioneiro de origem portuguesa do século XVI conhecido como “Cancioneiro de Paris” (CMBP) apenas peças escritas em língua portuguesa. O trabalho de preparação do repertório envolveu edições feitas especialmente para o grupo a partir do fac-símile do manuscrito original, reconstrução de algumas obras e criação dos arranjos. Foi feito também um trabalho de pesquisa que possibilitou a localização de outras fontes para os textos poéticos da músicas nas obras de nomes como Cristovão Falcão (1512-1557) e Luis de Camões (c.1524-1580). Esse repertório de grande simplicidade e beleza é trazido ao público na formação de três vozes acompanhadas por violas de mão, de quatro e cinco ordens, viola da gamba e flautas, recriando um ambiente intimista que remete a uma prática musical privada, sugerida pela característica dos cancioneiros de mão de serem obras para uso pessoal.

Mais informações: https://capelaultramarina.com/cd/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas