Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Congressos

Usos do Passado, Memória e Património Cultural

Início: Fim: Países: Brasil, Galiza, Portugal

História, Memória , Património Cultural

Usos do Passado, Memória e Património Cultural

Primeira Conferência Internacional

Torre do Tombo e Casa da Achada, 25 a 27 de Novembro

 

A culminar o primeiro ano de trabalho da linha temática «Usos do Passado, Memória e Património Cultural», no âmbito do IHC, organizamos uma conferência, que pretende interrogar esse campo conturbado e confluente de ciências sociais e humanas como a história, a antropologia, a arqueologia, a museologia: os usos do passado.

As abordagens acerca da memória, objectificada como património, sobretudo desde os anos 1980, correspondem a um estado do saber e das sociedades, quando o optimismo se diluiu e o futuro pareceu tornar-se passado. Essa viragem, coetânea de mudanças ao nível das sociedades, requereu uma reflexão sobre os usos do passado, como artefacto do presente, sujeitos às relações de forças dentro das sociedades, que interrogue igualmente o lugar do porvir, em tempos de futuros pretéritos.

Convocando quer investigadores reconhecidos, quer jovens com trabalhos em curso nesse domínio de orla, nesta conferência pretende-se interrogar o crescendo dos estudos sobre a memória, o património e o anti-património, a relação com as fontes orais, os arquivos e os museus, ao mesmo tempo que se debate a teoria e os métodos, numa abordagem em que se convocam saberes de fronteira de várias disciplinas.

Resulta do aprofundamento dos saberes no âmbito de um conjunto de relações estabelecidas pelos investigadores da linha de investigação «Usos do Passado, Memória e Património Cultural», congrega colegas de vários centros europeus, da Universidade Federal do Ceará e da Red(e) Ibero-Americana Resistência e/y Memória, trazendo até Lisboa investigadores de várias proveniências disciplinares, no domínio das ciências sociais e humanas.

 

 

 

Programa

 

25 de Novembro

9h30 – Abertura

10h00 – Conferência inaugural: Rui Bebiano (CES — Universidade de Coimbra), Memória histórica, trauma e democracia
10h45 – Debate

11h30 – Painel 1: O passado e o futuro são países estrangeiros? Teoria e métodos

11h30 – Paula Godinho (IHC — NOVA FCSH), Real, imaginado e horror: a anemia da razão crítica e a força da memória colectiva
11h45 – Anouk Guiné (Université du Havre), Metodología y producción de conocimiento en contexto de posconflicto. El caso peruano
12h00 – Raúl H. Contreras Román (UNAM), Evocar el porvenir. Apuntes para el estudio etnográfico de futuros pasados
12h15 – João Carlos Louçã (IHC — NOVA FCSH), A memória como artefacto para amanhã

12h30 – Debate

14h00 – Painel 2: História, memória, esquecimento e usos do passado

14h00 – Fabienne Wateau (CNRS), Herança indesejada e memória do meio. Acerca de marcas, matérias e objetos
14h15 – Jorge Freitas Branco (ISCTE-IUL), Os inertes também falam. Esquecimento e memória em torno dos georrecursos da ilha do Porto Santo
14h30 – Shawn Parkhurst (University of Louisville), (Re)Making the Commons of a Duriense village: Remembering Space and Spacing Memory
14h45 – Pedro Martins (IHC — NOVA FCSH), Os usos da Idade Média: a dicotomia História-Memória à luz do medievalismo português (c.1840-1940)
15h00 – Tânia Casimiro (IHC — NOVA FCSH), Materialidades, identidades e desigualdades sociais: uma perspectiva arqueológica (1755-1830)
15h15 – Debate

16h00 – Painel 3: Usos do Passado: materialidades, práticas e resistências

16h30 – Felipe Criado (INCIPIT, CSIC, Galiza) e Rafael Millán (INCIPIT, CSIC, Galiza), Arqueologia, Cognição, Memória
16h45 – Rui Gomes Coelho (Rutgers University, USA: Joukowsky Institute for Archaeology and the Ancient World, Brown University, EUA. UNIARQ—Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa), Intimidades imperiais na Lisboa contemporânea
17h00 – Xurxo M. Ayán Vila (IHC — NOVA FCSH) e Xosé Gago-García-Brabo (Câmara Municipal de A Pobra do Brollón, Galiza), Adegas da Memória: a construção da memoria nas comunidades camponesas da Ribeira Sacra
17h15 – Márcia Hattóri (Marie Curie no INCIPIT , Brasil), Patrimônio como desvio dos processos de reparação da violência de Estado e patrimônio como contestação territorial quilombola
17h30 – Josu Santamarina Otaola (Universidade do País Basco), Usos do Passado num contexto de post-conflito: violencia política, materialidade, memoria e patrimonio em Euskal Herria
17h45 – Debate

 

26 de Novembro

10h00 – Painel 4: Património e encenações

10h00 – Suene Honorato (Universidade Federal do Ceará), O cânone romântico brasileiro: exclusão das lutas indígenas e suas implicações para o presente
10h15 – Dulce Simões (INETmd — NOVA FCSH), O património cultural e a construção de imaginários futuros
10h30 – Ema Pires (IHC — Universidade de Évora), Sobre muros de xisto, javalis e árvores: modos possíveis de habitar numa aldeia do interior de Portugal
10h45 – Heriberto Cairo Carou (Universidade Complutense de Madrid), “Las Hermanitas Malvinas”: Identidad, Geopolitica y Cultura Popular en Argentina
11h00: Ana Estévez (Museo do Pobo Galego), Café da memória no Museo do Pobo Galego
11h15: Debate

11h30 – Painel 5: Emblematizações, memória e resistência

11h30 – Cristina Nogueira, Uma comunidade que lembra: as comemorações do 85 aniversário do 18 de janeiro na Marinha Grande
11h45 – Brian Juan O’Neill (ISCTE-IUL), A Relic People? Luso-typicalism in 18thCentury Marriages
12h00 – Adelaide Gonçalves (Universidade Federal do Ceará), Sementes de Memória e Resistência: Mulheres camponesas e soberania alimentar
12h15 – Mariana Rei (IHC — NOVA FCSH), Das capitais do têxtil às capitais da cultura: notas sobre uma pesquisa em curso no contexto de Guimarães – Lille
12h30 – Atílio Bergamini (Universidade Federal do Ceará), Genocídio cotidiano: elementos para a construção de um conceito
12h45 Debate

14h30 – Painel 6: Os arquivos: que passado guardado?

14h30 – Tiago Baptista (IHC — NOVA FCSH e ANIM), Os arquivos de filmes e a patrimonialização do cinema
14h45 – Silvestre Lacerda (ANTT), Os arquivos e as memórias individuais e das organizações: descrição, preservação e disponibilização on-line
15h00 – Luísa Tiago de Oliveira (CIES — ISCTE-IUL), História Oral, Fontes Orais e Arquivos Orais
15h15 – José Manuel Lopes Cordeiro (Universidade do Minho), O Arquivo da Administração da Região Hidrográfica do Norte: um património a conhecer e a valorizar
15h30 – Maria de Lurdes Rosa (IEM — NOVA FCSH), O multiverso arquivístico, para arquivistas e historiadores
15h45 – Debate

16h00 – Projecção de O Silêncio, de António Loja Neves e José Alves Pereira

18h30 – Casa da Achada: Apresentação de livros

• Alfredo González e Xurxo Ayán, “Arqueología. Una introducción a la materialidad del pasado“, Madrid, 2018, Alianza Editorial, por Felipe Criado
• Jorge Moreno, “El Duelo revelado“, UNED, 2019, por João Rodrigues e Vanessa Almeida
• Daniel Bensaïd, “Espectáculo, Fetichismo, Ideologia (um livro inacabado)“, Fortaleza, Plebeu Gabinete de Leitura, 2019 (reedição de uma obra publicada em 2013 e há
muito esgotada).

19h30 – Actuação do Coro da Achada

 

27 de Novembro

10h00 – Painel 7: Exibição do passado (1): os museus

10h00 – Maria da Luz Sampaio (IHC — NOVA FCSH), Caminhos da salvaguarda e difusão das coleções técnico-industriais
10h15 – Gonçalo de Carvalho Amaro (IHC — NOVA FCSH), Um museu mestiço: o gradual reconhecimento da cultura indígena por parte dos museus chilenos
10h30 – Maria Miguel Cardoso (Museu do Trabalho, Setúbal), Memória, Narrativa e Poder: o papel da memória na construção de narrativas museais – o caso do Museu do Trabalho Michel Giacometti
10h45 – Ângela Luzia (Museu da Cidade, Almada), Estratigrafias: a função da memória em cenários de ruína industrial
11h00 – Francisco Régis Lopes Ramos (Universidade Federal do Ceará), O Museu Histórico Nacional e a divulgação da história do Brasil (cultura material e escrita da história)
11h15 – Covadonga López de Prado (Museo Massó, Pontevedra), O enfoque de xénero nas museografías. A necesidade de implantar un enfoque feminista
11h30 – Debate

12h00 – Painel 8: Exibição do passado (2): os museus e a democracia

12h00 – María Lois (Universidade Complutense), ‘He Maori ahau’: patrimonialización, museos y contextos postcoloniales
12h15 – Rui Pereira (IHC — NOVA FCSH), Descolonizar o Museu, Descolonizar o Saber, promover a igualdade, combater a discriminação
12h30 – Luís Farinha (IHC — NOVA FCSH, Museu do Aljube), Museu do Aljube Resistência e Liberdade: Construção de um lugar de memória democrática
12h45 – Maria Alice Samara (IHC — NOVA FCSH), Metamorfoses do espaço: de prisão a museu
13h00 – Debate

15h00 – Painel 9: Usos do Passado, memória política e ditaduras

15h00 – Manuel Loff (IHC — NOVA FCSH, Universidade do Porto), “A maior catástrofe da história portuguesa”: “retornados” e descolonização no discurso público português
15h15 – Jorge Moreno Andrés, Fotografía, duelo y memoria. El uso de las imágenes familiares en contextos de violencia política
15h30 – Miguel Cardina (CES — Universidade de Coimbra), (Des)monumentalizar a luta: heroísmo, tempo e nação
15h45 – Lourenzo Fernandez Prieto (USC), O relato dun pasado que non existe máis. Historia e musealización
16h00 – Aitzpea Leizaola (Universidade del Pais Vasco-UPV-EHU), Memorias incompletas, patrimonios incómodos. Interrogando los objetos de las exhumaciones de fosas comunes de la guerra civil española
16h15 – Fernando Rosas (IHC — NOVA FCSH), Portugal século XX: o “colonialismo popular”
16h30 – Debate

17h00 – Performance de Joana Craveiro: Quando o passado (nos) persiste, ou, disse ele, “Há sempre uma história por detrás de todas as coisas” — uma keynote em jeito de palestra performativa sobre alguns passados que não nos largam.

 

 

Comissão Científica

 

Adelaide Gonçalves (Universidade Federal do Ceará)
Agustin Azkarate Garai-Olaun (Universidade do País Basco)
Brian Juan O’Neill (ISCTE-IUL)
Clara Aldrighi (Universidad La Republica, Montevideu)
Fabienne Wateau (CNRS, Nanterre)
Fernando Rosas (FCSH-NOVA)
Felipe Criado Boado (INCIPIT, CSIC)
Gerardo Necoechea (UNAM)
Lourenzo Fernández Prieto (Universidade de Santiago de Compostela)
Manuel Loff (Universidade do Porto)
María García (UNED)
Miguel Cardina (CES- Coimbra)
Pablo Pozzi (Universidad Buenos Aires)
Victor Pereira (Université de Pau)

 

Organização (IHC):

Paula Godinho
Ema Pires
Maria Alice Samara
Pedro Martins
Rui Mateus Pereira
Xurxo Ayán

 

Co-organização

Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal do Ceará
Instituto de Ciencias del Patrimonio – CSIC (Santiago de Compostela)
Museo do Pobo Galego
CES – Universidade de Coimbra
Museu do Aljube
Casa da Achada

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas