Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Congressos

I Colóquio Internacional À MARGEM - O centro como margem

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Arte, Chamada para trabalhos, Ciências da Comunicação, Ciências Humanas e Sociais, Comunicação, Filosofia, Letras, Literatura

I Colóquio Internacional À MARGEM acontece nos dias 25 e 26 de maio na Universidade de Coimbra. O evento apresenta-se como uma oportunidade para discutir a margem a partir do centro, na deteção de mecanismos de marginalidade, excentricidade, liminaridade e superfluidade num centro que pode constituir-se a partir do objecto de estudo ou das próprias metodologias de investigação. Porque a margem estende-se por onde quer que encontre espaço. Os investigadores interessados em submeter resumos têm até 5 de março.

Eixo temático
    Longe de constituírem um lugar de desconforto ou uma condição de exclusão, a margem e a marginalidade estão hoje entre as preocupações centrais das Humanidades. A fronteira, o interstício, o limite, o lado de lá são, mais do que obstáculos, espaços de uma premeditada alteridade que potencia perspetivas privilegiadas sobre territórios inexplorados, protagonistas imprevistos, assuntos e problemáticas sem o estatuto de objecto de estudo dignificado. A fluidez e a porosidade das zonas de contacto entre centro e margem, as indefinições ontológicas e as tensões epistemológicas, a pulverização das categorias e das classificações são, portanto, objecto de justificado fascínio por parte de investigadores das mais diversas áreas, que assim se abrem à transgressão e ao paradoxo, ao monstruoso e ao anómalo, ao híbrido e ao indefinido, às minorias e às dinâmicas de exclusão e inclusão, aos temas tacitamente assumidos como menores, secundários, supérfluos, acessórios.

Raramente, contudo, esta centralização operativa, teórica e metodológica da margem, autoriza o seu questionamento em rede e a sua extensão rizomática entre as várias disciplinas e os vários tempos que tocam os mais longínquos e controversos domínios da criação artística e visual.

 É a partir destes domínios, embora não na sua dependência absoluta, que o primeiro Colóquio À MARGEM se propõe lançar o debate sobre a margem a partir do centro. Não o centro enquanto palco de atuação desenraizada da margem mas, pelo contrário, o centro enquanto espaço (físico, simbólico, ideológico…) de infiltração efetiva da margem - ou mesmo enquanto espaço potencialmente marginal. Porque a margem estende-se por onde quer que encontre espaço, o desafio será, assim, encontrá-la no centro, através das fissuras, das migrações, das apropriações, das inversões, dos diálogos e das usurpações.

Este colóquio pretende, assim, funcionar como uma primeira plataforma de discussão, pluriepocal e transdisciplinar, capaz de colocar em diálogo diferentes áreas do saber que, partindo do fenómeno artístico e das suas múltiplas valências, se posicionem face às complexas dinâmicas da (inter)relação entre o centro e a margem. Procurar os paralelos, as intersecções, as especificidades e mesmo as dissonâncias (metodológicas, teóricas, temáticas, simbólicas, entre outras) entre diferentes abordagens da margem e à margem é, assim, um dos seus objetivos fundamentais. Testar a operatividade e os limites de diferentes posicionamentos e abordagens (ora a partir do centro, ora da margem, ora do limite entre os dois ou da sua inexistência), será, a longo prazo, outro dos seus propósitos.

Partindo da arte e da imagem como focos essenciais de reflexão e problematização (e como definir o artístico a partir da margem?), procuram-se contributos de todas as áreas que entendam relacionar-se, estreita ou tangencialmente, com o fenómeno artístico, em toda a sua espessura histórica.

Entre os tópicos que articulam o desafio de discutir o centro como margem, que não excluem propostas marginais aos temas e questões elencadas, incluem-se os seguintes:

  •     Investigar (n)o limite: contributos de ordem teórica e metodológica
  •     A margem no centro, ou o centro como margem: processos, temas, objeto, personagens​
  •     Os limites do Artístico: relações interartísticas, arte e imagem, ergon e parergon.​
  •     Transgressão e Paradoxo: (im)possibilidades​
  •     Mo(n)stro: os limites do humano e a eloquência da indefinição ontológica​
  •     Um lugar para a margem: espaços reais, operativos e simbólicos

Mais informações na página do colóquio À MARGEM e através do e-mail coloquioamargem@gmail.com.

 

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas