Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020
Congressos

3º Fórum Fiocruz de Memória: Ciência, Democracia e Memória

Início: Fim: Países: Brasil

Ciência, Memória

Há 50 anos, em 1970, sob a vigência do Ato Institucional nº 5, dez pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz – embrião da Fiocruz – foram cassados pela ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) em um dos períodos mais sombrios que a instituição atravessou. O episódio ficou conhecido como Massacre de Manguinhos, título que o pesquisador Herman Lent – um dos cassados – deu ao livro publicado em 1978, no qual narra e analisa os fatos relacionados à cassação.

A relação entre ciência e democracia e a valorização da memória como condição para que arbitrariedades como o Massacre de Manguinhos não mais aconteçam é o tema do 3º Fórum Fiocruz de Memória (Fofim) Ciência, Democracia e Memória. O evento, promovido pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) e a Presidência da Fundação Oswaldo Cruz, acontece no dia 2 de outubro, a partir das 9h30, com transmissão pela página da COC no Facebook, em sessão integrada ao Centro de Estudos do Instituto Oswaldo Cruz (IOC).

A cassação dos cientistas de Manguinhos serve como fio condutor para as discussões do Fórum que abordam as interseções entre ciência, política e democracia e a impossibilidade da autonomia da atividade científica diante de processos sociais mais amplos, como foi a ditadura instalada no Brasil em 1964. Entre outros tópicos, o evento discute as disputas em torno da memória dos “anos de chumbo”, principalmente enfocando o papel dos suportes materiais, que documentam e rememoram esse período da história, e analisam o impacto do exílio desses cientistas e intelectuais na trajetória da ciência brasileira e as dimensões subjetivas de todo esse processo, que ajudam a refletir sobre o Brasil atual.

Mais informações: http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/ditadura-arquivos-e-lugares-de-memoria/

Fonte: História, Ciências, Saúde – Manguinhos

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas