Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2022
Publicações

Via Atlântica - chamada para publicação: As Literaturas de Autoria Afrodescendente no Brasil e em Portugal

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Literatura

Via Atlântica (USP)

Revista do Programa de Pós-graduação de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo

- Dossiê nº 45 - 

As Literaturas de Autoria Afrodescendente no Brasil e em Portugal

Nos últimos anos, observamos com otimismo um crescimento importante da presença de autores negros no mercado editorial brasileiro, o que, todavia, não apaga os impasses de caráter étnico-racial em uma sociedade marcada por seu racismo estrutural. Já em Portugal, acompanhamos as crescentes tensões sobre a autoria afrodescendente como consequência da luta pela visibilidade desse segmento que desperta espectros históricos que ainda nos atormentam e que condicionam a recepção de determinados textos. Como bem aponta Miguel Vale de Almeida (2022) em relação a seu país, mas que, em grande medida, se aplica também ao Brasil, “A democracia portuguesa não soube descolonizar(-se). Uma demonstração desse insucesso é a perturbadora continuidade da hegemonia da narrativa lusotropicalista. Esta narrativa, largamente disseminada no senso comum, ampara processos de negação do racismo estrutural e institucional.”

A história surge, assim, nesses dois contextos, como elemento fundamental para a compreensão da experiência negra e afrodescendente em toda sua extensão já que, ao ser oficialmente escrita parte de um campo de força ideológico seletivo e que pertence às classes dominantes, está repleta de silenciamentos. Nesse movimento dialético entre história e experiência vivida, a arte ascende como espaço privilegiado de luta e resistência e se revela não só no âmbito da ética e da política, mas também no da estética.

Delimitar a extensão dessa influência deve ser uma das tarefas primeiras de quem se dedica à pesquisa no campo das literaturas de língua portuguesa. Mensurar corretamente o impacto dos fenômenos sócio-históricos no domínio da literatura é uma das mais adequadas e eficazes armas para se combater tanto o predomínio de uma pauta estética estéril, quanto para evitar que a literatura se torne um campo desidratado de sentido social.

Dessa maneira a interlocução proposta entre a Literatura e os campos das Ciências Humanas e Sociais, principalmente o campo da História, configura-se e consolida-se como eficiente estrutura para a análise crítica e a interpretação literária.

Neste número 45 da revista Via Atlântica, acolheremos artigos teórico-críticos inéditos que reflitam sobre a produção de autoria negra e/ou afrodescendente em Portugal e no Brasil que abordem temas associados, tais como: literatura e vida social, literatura e história, literatura e transformação social, literatura e resistência à luz das caraterísticas próprias dos contextos português e brasileiro.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura de autoria afrodescendente; literatura e vida social, literatura e história, literatura e resistência.

ORGANIZAÇÃO: Inocência Mata (CEComp/FLUL/Universidade de Lisboa), Rosângela Sarteschi (DLCV/USP) e Luiz Maurício Azevedo (pós-doc FFLCH/USP).

PRAZO PARA O ENVIO DOS TRABALHOS:  de 01 de outubro de 2022 a 03 de março de 2023.

PROCEDIMENTO PARA A SUBMISSÃO DE TEXTOS: Todos os manuscritos devem ser submetidos utilizando a seguinte plataforma OJS da revista. Os Autores devem se registar como usuários da revista e, assim, submeterem seus manuscritos. Manuscritos que não forem submetidos pela plataforma indicada e que não estejam em conformidade com as normas de apresentação serão desconsiderados.

NORMAS DE APRESENTAÇÃO E POLÍTICA EDITORIAL: Todas as informações referentes às normas, formatação de textos, avaliação e outras questões relacionadas ao processo de submissão podem ser consultadas na seção Submissões do site da revista.

CONTATO: viaatlantica@usp.br
 

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas