Sábado, 04 de Dezembro de 2021
Publicações

Chamada para o volume 28 da revista Estação Literária: Literatura e Canção

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Literatura

Chamada para o volume 28 da revista Estação Literária

Submissões até 08 de novembro de 2021

A revista Estação Literária aceita contribuições sob a forma de artigos científicos que versem sobre o universo dos Estudos Literários, que devem estar em conformidade com o tema do Dossiê, além de publicar resenhas de obras literárias, teóricas ou críticas publicadas no máximo há 2 anos para obras nacionais e 3 anos para obras estrangeiras.

 


Literatura e canção

Todas as canções, inutilmente
Todas as canções, eternamente
Jogos de criar...”

(“Minas Gerais” – Ronaldo Bastos / Novelli)

 

A canção, mistério feito de poesia e música, nem só poesia e nem só música, mas um objeto cultural próprio que nasce da soma delas. A qual área do saber cabe sua análise? Tanta significação concentrada esteticamente em uma forma artística transcende o reducionismo de caber em apenas uma área – encontraremos fácil estudos da canção na História, Filosofia, Sociologia, Artes -, no entanto, podemos falar com toda tranquilidade que a Literatura é sim um dos caminhos que melhor dá subsídio para sua interpretação, afinal, a relação com a música atravessa a sua formação, desde os gregos e o gênero lírico que ganha vida com palavra e melodia através do instrumento chamado lira, passando pelos trovadores que darão a base inicial de tantas literaturas europeias, até chegar nos poetas modernos que percebem na canção um projeto poderoso para lançar suas subjetividades, ao ponto de termos agora até um ganhador do Nobel de Literatura que vem desses caminhos.

Se ainda existe alguma relutância do meio acadêmico literário para reconhecer o valor da canção, taxando-as pelo caminho do “inutilmente” ao não afirmarem os trajetos alimentados no cânone para outras obras, cabe a nós, pesquisadores que entendemos a potência delas para ganharem o impulso de viver “eternamente”, o exercício de estudar e interpretar os processos que formam seus “jogos de criar”.

Essa é a real intenção da Revista Estação Literária ao propor uma chamada que veicula os estudos da literatura com a canção: encontrar dentro da academia quem busca dar voz ao entendimento dos métodos constituintes desses “jogos de criar” que tanto marcam as produções da arte construída na soma entre poesia e música, aqueles que são capazes de reconhecer como trabalham os compositores, que, assim como os grandes escritores reconhecidos pela Literatura, também intencionam o reconhecimento de serem “ouvidos-lidos” eternamente.

Além disso, nossa Revista proporciona uma outra experiência aos que amam produzir Literatura: o Espaço de Criação, onde poemas, contos, desenhos, fotos e outras formas artísticas curtas ganham a possibilidade de serem publicadas. Por se tratar de um número sobre a canção, os compositores ganharão a oportunidade de trazer ao número suas criações, com a devida reprodução da letra – a parte da poesia – e a gravação sonora – a parte da música.

Fica o convite, então, para o envio de artigos e canções dos amantes da música e da poesia – e da soma entre elas – que enxergam, assim como Octavio Paz, que “o poema é um caracol onde ressoa a música do mundo”, e podem enxergar também na música um caracol onde ressoa a escrita do poema “eternamente”.

Luis Eduardo Veloso Garcia

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas