Quinta-feira, 09 de Dezembro de 2021
Publicações

Chamada para Dossiê "Os recenseamentos no Brasil" - Revistas Brésil(s) e Confins

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Estudos Brasileiros, Geografia

Os recenseamentos no Brasil: perspectivas históricas, novas abordagens e desafios atuais

Dossiê temático - Revistas Brésil(s) e Revista Confins

Organização: Alexandre Camargo (IUPERJ/UCAM), Claudia Damasceno (EHESS/CRBC), Hervé Théry (CNRS-USP)

Instrumentos essenciais para as ações do Estado brasileiro e para sua avaliação, os recenseamentos refletem os processos de concepção e de consolidação de políticas econômicas, territoriais e sociais do país. Desde as primeiras décadas do século XX, eles contribuíram para a criação de modelos de crescimento e de políticas populacionais para a identificação de problemas nacionais, e para a emergência e consolidação da pesquisa em ciências sociais no Brasil. Somente no final da década de 1950 as estatísticas começaram a ser mobilizadas, por alguns pesquisadores, para contestar o mito de uma nação sem divisões e sem conflitos raciais. A partir dos anos 1990, os recenseamentos tornaram-se um elemento essencial dos movimentos de democratização da sociedade brasileira, dando visibilidade e novos meios de luta às minorias. Mais recentemente, os cortes orçamentais e a simplificação do recenseamento de 2020 impostos pelo governo federal, conjugados às restrições sanitárias da pandemia COVID-19 resultaram inicialmente no cancelamento da campanha censitária, até que uma decisão judiciária obrigou o Presidente da República a relançar o processo.

O objetivo deste dossiê temático é, por um lado, refletir sobre cem anos da história censitária do país partindo do Censo de 1920, que foi um marco importante e inovador quanto à qualidade técnica, mas também em termos da quantidade de variáveis pesquisadas e dos modos de apresentação dos dados. Por outro lado, o dossiê deverá refletir as perspectivas atuais da sócio-história da estatística, que aborda os modos de produção, de circulação e uso dos números públicos, entendidos como objetos culturais e como artefatos que resultam de práticas sociais de classificação, registro e de confrontação entre as diferentes dimensões da realidade. Neste sentido, serão bem-vindas as análises comparativas e cruzadas entre o caso brasileiro e o de outros países.

Eixos de reflexão

Os organizadores do dossiê incentivam as propostas de artigo inseridas em um ou vários dos seguintes eixos:

1) Os métodos empregados nos censos, os enquadramentos espaciais dos dados, tanto durante a campanha de coleta quanto na divulgação, e o papel desempenhado por essas escolhas nos movimentos de construção e reforma do Estado, questões que poderão ser analisadas numa perspetiva diacrônica;

2) As controvérsias envolvendo instituições, comunidades científicas e corpos técnicos, sabendo que os censos possibilitaram a esses últimos de intervir e de exercer uma influência crescente nos debates públicos, ao mesmo tempo que eles contribuíram para a formação de novos campos do conhecimento;

3) A gênese das categorias demográficas, sociais, econômicas e espaciais (« raça/cor », « religião », « pobreza », « favela », etc.) e sua evolução, analisadas em relação ao surgimento de novos atores, à criação e à especialização de órgãos governamentais e à emergência de formas de participação social; 

4) As interfaces entre números, mapas e outros recursos visuais na construção da imagem de nação, na ordenação político-territorial e na progressiva regionalização dos dados populacionais;

5) O impacto das tecnologias digitais tanto na produção do censo, quanto no controle público sobre a difusão da informação;

6) O censo como instrumento de luta política, entre promessa de equidade social, agenda neoliberal e negacionismo científico.

Normas e calendário

O dossiê temático será publicado em maio de 2023 nas revistas Brésil(s) e Confins.

Os artigos deverão ter um máximo de 50.000 caracteres (incluindo espaços, notas, referências bibliográficas). Os autores deverão respeitar todas as outras normas editoriais da revista Brésil(s) disponíveis no site da revista ou nos links: https://journals.openedition.org/bresils/375 (francês) ; https://journals.openedition.org/bresils/1191 (português) ; https://journals.openedition.org/bresils/1964 (inglês).

As propostas de artigos serão analisadas na língua de redação, por dois avaliadores em «duplo-cego». Os textos aprovados serão publicados nos dois idiomas: em francês na revista Brésil(s), em português na revista Confins (haverá links cruzados, remetendo para cada revista).

Os autores deverão custear as traduções, e poderão solicitar aos organizadores sugestões de tradutores.

Os textos deverão ser enviados à redação da revista Brésil(s) até o dia 15 de março de 2022.

Contact : bresils-revue@ehess.fr

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas