Domingo, 23 de Janeiro de 2022
Publicações

Chamada de "Il Tolomeo - Revista de estudos pós-coloniais", edição n.° 24

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Itália

Chamada para artigos, Estudos Pós-Coloniais, Media

Il Tolomeo – Revista de Estudos Pós-coloniais

Chamada de artigos 2022

Transmedialidades pós-coloniais

Narrativas pós-coloniais através dos media

Il Tolomeo – revista de estudos pós-coloniais convida todos os estudiosos interessados a enviar as suas propostas para a próxima edição de 2022 (n.o 24). A edição compor-se-á de uma secção generalista de tema livre e uma secção temática dedicada às transmedialidades pós-coloniais, ou seja às narrativas pós-coloniais através dos media.

Nas últimas décadas, o interesse da crítica pelas estruturas narrativas fundamentais, já não exclusivas da literatura, mas identificáveis em todos os media capazes de narrar uma história, resultou num aumento significativo de publicações centradas na narratologia transmedia. Um exemplo disto é o estudo monográfico Transmedial Narratology and Contemporary Culture de J.-N. Thon (2016), o artigo de R. Baroni «Pour une narratologie transmédiale», publicado no n.o 182 de Poétique (2017), o ensaio de M.-L. Ryan «Sur les fondements théoriques de la narratologie transmédiale», inserido no volume Introduction à la narratologie postclassique. Les nouvelles directions de la recherche sur le récit editado por S. Patron (2018), ou ainda os números monográficos das revistas Mediapolis – Revista de Comunicação, Jornalismo e Espaço Público («Personagens mediáticas: teoria, problemas, análises», n.o 6, 2018) e 2i – Revista de Estudos de Identidade e Intermedialidade («Literatura e televisão: novas narrativas – Ficções transmédia», vol. 2, n.o 1, 2020). Embora a ideia de uma gramática da narrativa aplicável a diferentes media já tivesse sido expressa pelos pioneiros da narratologia (cf. Análise estrutural da narrativa: pesquisas semiológicas, 1976), é apenas recentemente que esta disciplina se emancipa do seu horizonte literário original (Baroni 2017, 155). Hoje em dia, os especialistas parecem preferir o termo narratologia transmedia a fim de realçar ainda mais o carácter plurívoco de certos fenómenos narrativos e de os examinar de uma perspetiva comparativa dos media que se recusa a privilegiar um único suporte em detrimento dos outros (Wolf 2011, 5). Se a identificação de instâncias narrativas invariáveis através dos media permanece um dos objectivos principais da disciplina, A. Goudmand e R. Baroni (2019) recordam que é tarefa da narratologia transmedia destacar também as especificidades com que um único medium lhes dá forma.

No âmbito pós-colonial, estudiosos e artistas destacaram o papel que o cinema, a rádio, a televisão e principalmente hoje, na era da revolução digital, a Internet e as redes sociais desempenharam e continuam a desempenhar na mediação de práticas culturais que não só definem, mas muitas vezes desafiam e reorganizam barreiras sociais e noções binárias, tais como a oposição entre centro e periferia, local e global, pondo em crise a ideia moderna do Estado-nação.

Poderosos instrumentos de comunicação capazes de alcançar uma vasta audiência num curto espaço de tempo, os media podem tornar-se um perigoso veículo de ideologias com consequências muitas vezes trágicas - para citar um triste caso histórico recente, o papel crucial desempenhado pela rádio durante o genocídio ruandês. Pelo contrário, porém, podem também contribuir para a criação e consolidação de uma cultura popular e decolonial que transcende todas as divisões de classe, que tem sido capaz de resistir à assimilação cultural imposta pelos ex-colonizadores, e que prova o seu potencial emancipatório ao implementar um processo contínuo de autocrítica (Cabral 1970).

Estudos pós-coloniais sobre transmedialidade foram dedicados a específicas áreas geográficas e/ou media, como no caso das reflexões de F. Fanon sobre o cinema em Peau Noire, Masques Blancs (1952), em que são analisados os diferentes graus de identificação do público ao assistir ao filme Tarzan nas Antilhas e na Europa. Outros exemplos incluem o estudo da influência estilística do cinema indiano nos romances de Salman Rushdie proposto por F. Stadtler (Fiction, Film and Indian Popular Cinema: Salman Rushdie's Novels and the Cinematic Imagination, 2013) e o volume, editado entre outros por A. M. Leite, sobre o papel da narração tanto literária quanto cinematográfica na construção do imaginário nacional das ex-colónias africanas de Portugal (Nação e narrativa pós-colonial. III-IV, Literatura & cinema: Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe, 2018). No entanto, não faltam textos programáticos que examinem fenómenos transnacionais, tais como o volume sobre narrativas transmediais e transculturais Passagen: Hybridity, Transmédialité, Transculturalidad de R. Ceballos et al. (2009).

O objectivo desta edição monográfica da revista Il Tolomeo é propor uma reflexão sobre histórias, memórias e narrativas pós-coloniais através dos media como um todo. Pretende-se destacar tendências críticas, formais e editoriais (comuns ou divergentes) entre os diferentes contextos das literaturas pós-coloniais – anglófono, francófono, lusófono –, articuladas em torno de um ou mais media.

As possíveis áreas de investigação incluem:

  • Análise de obras pós-coloniais plurimediais, realizadas em múltiplos suportes e sistemas semióticos;

  • Transposições intermediais, adaptações de um medium para outro, de obras pós-coloniais;

  • Reflexões sobre a narratologia transmedia como fenómeno narrativo no âmbito pós-colonial, com ou sem um foco particular num medium determinado;

  • Identificação de referências intermediais no âmbito pós-colonial, como no caso de obras que têm como tema outros media (por exemplo, um romance dedicado à vida de um pintor ou um músico pós-colonial) ou que mencionam explicitamente outro suporte (inserção de um texto numa pintura), o descrevem (uma pintura descrita numa história) ou o imitam a um nível formal (um romance estruturado como uma fuga);

  • Análise de narrativas pós-coloniais que se tornaram transmediais, ou seja, histórias que de tão populares dão origem espontaneamente a fenómenos culturais difundidos em diferentes suportes (por exemplo, prequel, sequel, fan fiction, adaptações, etc.).

Serão especialmente apreciados estudos com uma abordagem histórica e comparativa, que coloquem as obras nos seus contextos literários e culturais de referência, ou que reflitam criticamente sobre a categoria da transmedialidade no contexto pós-colonial.

Il Tolomeo aceita submissões nas seguintes categorias:

  • artigos (35.000-40.000 caracteres, com espaços)

  • recensões (9.000-12.000 caracteres, com espaços)

  • entrevistas (9.000-15.000 caracteres, com espaços)

  • obras inéditas.

Para os artigos:

Convidamos todos os interessados em submeter um artigo a enviar um resumo (máximo 1000 caracteres, com espaços) para tolomeo.redazione@unive.it até 15 de Fevereiro de 2022. O prazo seguinte, para a apresentação dos artigos completos, é 31 de Maio de 2022. Anexar, para além do resumo, uma nota bio-bibliográfica (em inglês, máximo 1.000 caracteres, com espaços) e 5 palavras-chave (em inglês). Indicar também se o artigo se destina à secção generalista ou à seção temática.

Para todas as outras propostas:

O prazo para a apresentação é 31 de Maio de 2022. É favor anexar também uma nota bio-bibliográfica.

As propostas devem seguir as normas de redação e bibliográficas da revista, que podem ser consultadas na página web de Il Tolomeo. Aceitamos propostas em inglês, francês, português e italiano desde que haja coerência entre a língua e o conteúdo (a Redação reserva-se o direito de conceder eventuais prorrogações por necessidades específicas e fundamentadas). Para mais informações, escrever para tolomeo.redazione@unive.it ou consultar o site da revista: https://edizionicafoscari.unive.it/it/edizioni4/riviste/il-tolomeo/.

Referências biliográficas

BARONI, R. (2017), «Pour une narratologie transmédiale», Poétique, n. 182, p. 155-175.

BARONI, R. e GOUDMAND, A, «Narratologie transmédiale / Transmedial Narratology», Glossaire du RéNaF, pubblicato il 21 marzo 2019, URL: https://wp.unil.ch/narratologie/2019/03/narratologie-transmediale-transmedial-narratology/

BARTHES, Roland et al. (1976), Análise estrutural da narrativa: pesquisas semiológicas, São Paulo, Editora Vozes.

CABRAL, A. (1970, February 20), «National liberation and culture». Eduardo Mondlane Memorial Lecture Series. Online, consultato il 24 novembre 2021. URL: https://www.historyisaweapon.com/defcon1/cabralnlac.html#1.

CEBALLOS, R. et al. (2009), Passagen: Hybridity, Transmédialité, Transculturalidad, Hildesheim, Olms.

FANON, F. (1952), Peau noire, masques blancs, Paris, Seuil.

LEITE, A. M. et al. (a cura di) (2018), Nação e narrativa pós-colonial. III-IV, Literatura & cinema: Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe, Lisboa, Colibri.

NÚÑEZ SABARÍS, X. e TAVARES, D. (a cura di) (2020), «Literatura e televisão: novas narrativas – Ficções transmédia», num. mon. di 2i – Revista de Estudos de Identidade e Intermedialidade, vol. 2, n. 1.

«Personagens mediáticas: teoria, problemas, análises» (2018), num. mon. di Mediapolis – Revista de Comunicação, Jornalismo e Espaço Público, n. 6.

«Recherches sémiologiques: l’analyse structurale du récit », num. mon. di Communications, n. 8, 1966.

RYAN, M.-L. (2018), «Sur les fondements théoriques de la narratologie transmédiale», in Introduction à la narratologie postclassique. Les nouvelles directions de la recherche sur le récit, S. Patron, (a cura di) Villeneuve d’Ascq, Presses Universitaires du Septentrion, p. 147-166.

STADTLER, F. (2013), Fiction, Film and Indian Popular Cinema: Salman Rushdie's Novels and the Cinematic Imagination, New York, Routledge.

THON, J.-N. (2016), Transmedial Narratology and Contemporary Culture, Lincoln, University of Nebraska Press.

WOLF, W. (2011), « (Inter)mediality and the Study of Literature », Comparative Literature and Culture, n° 13 (3). Online, consultato il 24 novembre 2021. URL: https://docs.lib.purdue.edu/clcweb/vol13/iss3/2/.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas