Terça-feira, 28 de Junho de 2022
Congressos

IX CIOSE 22 — Colóquio Internacional "Olhares sobre o Envelhecimento"

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Chamada para trabalhos, Ciências Humanas, Ciências Sociais

IX CIOSE 22 — Colóquio Internacional "Olhares sobre o Envelhecimento"

CDA (Centro de Desenvolvimento Académico) da Universidade da Madeira

29 e 30 de novembro de 2022, Edifício do Colégio dos Jesuítas, Funchal.

 

Quando um velho morre, é uma biblioteca que arde.

(Amadou Hampâté Bâ)

 

O envelhecimento faz parte do ciclo natural da vida e representa uma conquista da sociedade moderna. Embora se trate de um processo extremamente complexo e multifacetado, o envelhecimento não pode ser visto e reduzido a um problema.

Em 2020, pela primeira vez na história, havia mais pessoas no mundo com mais de 65 anos do que crianças com menos de 5 anos. Esta população envelhecida deverá aumentar de mil milhões em 2019 para mais de dois mil milhões em 2050, prevendo-se que as pessoas com mais de 80 anos aumentem de 143 para 426 milhões, e de forma mais acentuada nas sociedades em desenvolvimento (Perspectivas da População Mundial da ONU, 2019). Esta tendência demográfica constitui um dos maiores desafios globais na área da saúde, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mas também para muitas outras áreas estruturantes da sociedade contemporânea (i.e., educação, social, económica, entre outras). Em Portugal observa-se esta mesma tendência. O índice de envelhecimento da população portuguesa que era de 27,3 em 1960 é, em 2021, 182,1. Estima-se que em 2050, haverá 3,4 milhões de portugueses com mais de 65 anos, o que representará 23% da população.

Assim, o envelhecimento representa um desafio global, quer do ponto de vista social quer do ponto de vista científico, que requer esforços integrados, abordagens multidisciplinares de investigação e inovações sociais, baseadas em ideias que realçam o valor da velhice, o seu potencial e capacidades. O envelhecimento como um processo não é linear nem consistente. Inclui aspetos biológicos, sociais e psicológicos. Como tal, nenhuma área científica pode abordar única e plenamente as muitas dimensões do envelhecimento. Para reduzir os efeitos e consequências do envelhecimento e encarar as desigualdades e diversidades das idades mais avançadas, é necessário conscientizar a sociedade sobre essa realidade, desenvolver estratégias para dar respostas às novas necessidades sociais, e promover a readaptação da sociedade a uma nova realidade.

Estudar o envelhecimento requer, assim, uma variedade de perspectivas e de métodos e, acima de tudo, investigadores de mente aberta, dispostos a empenhar-se em diálogos e debates multidisciplinares significativos.  A Universidade da Madeira pretende promover um espaço de diálogo, de encontro de ideias sobre este fenómeno, perspectivado na sua globalidade, convocando a colaboração de investigadores de diversas comunidades científicas, desde Cientistas Sociais, Cientistas da Saúde, Cientistas de Computadores, Designers, Biólogos, Linguistas, Pensadores da Cultura, Filósofos, etc.

A partir de uma perspetiva multidisciplinar, que reúne áreas do conhecimento como as da Educação, Saúde, Atividade Física e Desporto, Biologia, Psicologia, Sociologia, Turismo, Design, Cultura, Linguística, Inteligência Artificial e Engenharia Aplicada, o IX colóquio Internacional Olhares sobre o Envelhecimento (IXCIOSE) pretende promover uma colaboração genuína, compreensão mútua e partilha de conhecimentos e uma reflexão construtiva direcionada para o progresso do envelhecimento com qualidade de vida e bem-estar.

A Universidade da Madeira, através do CDA, convida a comunidade académica a refletir sobre as várias configurações do envelhecimento a partir dos seguintes eixos temáticos:

  1. Gerontologia, cuidados de saúde e desenvolvimento de capacidades físicas e funcionais;
  2. Turismo, com especial enfoque no Turismo de bem-estar e de saúde;
  3. Educação e formação ao longo do ciclo da vida;
  4. Biologia do envelhecimento, fatores biológicos e o aumento da esperança de vida nas populações humanas;
  5. Inteligência Artificial e desenvolvimento tecnológico digital, como desenvolvimento de aplicações móveis, sensores, registos eletrónicos de saúde, e-Saúde, monitorização de atividade física, reabilitação cognitiva, competências digitais;
  6. Design e “ageing-in-place”, ou design inclusivo, a pensar nas necessidades das pessoas idosas;
  7. Linguística, perturbações e aspetos gerais da linguagem no envelhecimento saudável; o envelhecimento e a aprendizagem de línguas;
  8. Cultura e Literatura, representações e crenças sobre o "envelhecimento", enquanto conceitos relativos, que variam ao longo do tempo histórico e das construções culturais e literárias;
  9. Psicologia, capacidades cognitivas, saúde mental, ajustamento e adaptação aos processos de envelhecimento, mudanças de estilo de vida, intervenção nos problemas de Saúde Psicológica, estimulação de funções cognitivas e comportamentos favoráveis a um estilo de vida saudável, e cuidados paliativos;
  10. Sociologia, o papel do ambiente social; o papel do idoso na sociedade; a institucionalização;
  11. Artes Visuais e as representações do envelhecimento;
  12. Atividade Física, Exercício e Envelhecimento Saudável.

Site do colóquio: https://sway.office.com/VKQs7JryfTNfhw0Q?ref=Link&loc=play

Oradores convidados:

28 de novembro: Jean-Marc Lemaitre (DR1 INSERM, França).

Vieillir jeune et mourir en bonne santé : Utopie ou Réalité..? 

 

29 de novembro: Rodrigo Serrat (Departamento de Cognición, Desarrollo y Psicología de la Educación de la Universidad de Barcelona, Espanha).

La participación ciudadana de las personas mayores: Tendencias actuales y desafíos futuros.

 

Línguas: Português, Inglês e Francês e Espanhol

Submissões:  Convida-se a submeter um resumo (até 500 palavras) e cinco palavras-chave para o email: https://easychair.org/conferences/?conf=ixciose22

Prazos e datas importantes:

  • Submissão do resumo: 15 de julho de 2022
  • Notificação de aceitação: 15 de setembro de 2022
  • Submissão do artigo (sujeito a aceitação e processo de revisão): 15 de fevereiro de 2023.
  • Publicação do ebook: último trimestre de 2023.

Inscrições:

  • Até 25 de setembro: com comunicação (50,00 euros); sem comunicação (10, 00 euros);
  • Até 25 novembro: com comunicação (70,00 euros); sem comunicação (15, 00 euros);
  • Estudantes da Universidade da Madeira : gratuito (5 euros para a emissão de certificado).

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas