Sexta-feira, 07 de Maio de 2021
Congressos

IHC: Colóquio Internacional Migrar na instabilidade

Início: Fim: Países: Portugal

Chamada para trabalhos, Ciências Humanas e Sociais

Colóquio Internacional Migrar na instabilidade:
práticas, discursos e representações

Organização: Maria Fernanda Rollo (IHC-FCSH/UNL), Marta Silva (IHC-FCSH/UNL), Yvette Santos (IHC-FCSH/UNL)
Local: Lisboa, FCSH/UNL
Datas: 17 e 18 de Junho de 2015
Data limite para submissão de propostas: 28 de fevereiro de 2015
 
Os debates sobre o atual fenómeno emigratório são animados pela preocupação de tentar perceber o perfil e as motivações do emigrante de hoje e o impacto da emigração na realidade nacional. Colocam-se nos pratos da balança as vantagens e inconvenientes do fenómeno à escala individual e coletiva, do ponto de vista económico e social e no prisma das comunidades de origem e de destino. Estes questionamentos têm levado a procurar nos movimentos migratórios do passado mais expressivos, como os da Belle Époque e dos anos 1960 – nos quais a produção científica mais se tem debruçado –, uma âncora que permita compreender e inscrever a atual situação na História da Emigração portuguesa.
 
Porém, o peso quantitativo que define a emigração como fenómeno conjuntural acaba por desviar o interesse científico dos ciclos migratórios numericamente mais débeis, tais como os dos anos 1930 e 1940, que tomaram parte em contexto de crise económica, ou os da década de 90, em que parecia consumada a imagem de um Portugal como país de imigração.
 
Tal facto não elucida sobre a presença da emigração como uma constante estratégia individual e/ou coletiva de sobrevivência (económica e/ou política), nem sobre o seu lugar permanente na agenda política do Poder. Do mesmo modo, também não tem sido dado espaço ao aprofundamento do conhecimento acerca do significado de diferentes contextos políticos e socioeconómicos no cruzamento com a realidade migratória.
Pretende-se, neste colóquio, revisitar a emigração até à atualidade, privilegiando-se contextos de instabilidade e de processos de mudança política, económica e social, independentemente do volume de saídas, de maneira a identificar particularidades e similitudes entre os diferentes momentos.
 
Vários eixos de análise podem ser abordados:
 
• Perfil dos emigrantes;
• Causas e consequências da emigração;
• Motivações e estratégias individuais, familiares e grupais;
• Emigração legal, ilegal e indocumentada;
• Redes migratórias;
• Discursos e debates políticos;
• Políticas de emigração;
• Representações dos emigrantes e da Emigração;
• Cruzamento de realidades migratórias dos países da Europa do Sul;
• Reflexões teóricas sobre migrações.
 
Este colóquio, pluridisciplinar, pretende ser um espaço de partilha e de debate entre investigadores, académicos e outros atores sociais ligados à questão emigratória.
 
As propostas devem conter um título, um resumo com um máximo de 500 palavras com uma tradução obrigatória em inglês, e um breve currículo (máximo 1 página). Devem ser enviadas para o seguinte e-mail:
migrarnainstabilidade@gmail.com
 
As línguas aceites são o português, o inglês, o espanhol e o francês.
 
Calendarização:
Até 28 de fevereiro de 2015 – data limite de envio das propostas
Até 15 de março de 2015 – confirmação de aceitação da proposta
Até 15 de maio de 2015 – data limite para envio de um resumo da comunicação (máximo 2 páginas)
 
Para mais informações:
echoesmigrations.blogspot.pt
 
Organização:
Maria Fernanda Rollo (IHC-FCSH/UNL)
Marta Silva (IHC-FCSH/UNL)
Yvette Santos (IHC-FCSH/UNL)
 
IHC/FCSH
Lasar Sagall - Navio de Emigrantes - 1939/41
gennaro cicalese.it: discorso Migratorio; CC BY 2.0

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas