Terça-feira, 27 de Julho de 2021
Congressos

"A Aparição dO vendedor de passados: literatura e cinema em língua portuguesa"

Início: Países: Brasil, Portugal

Cinema, Literatura

Os Professores  Doutores Luís Miguel Cardoso - ESECS-Pt e João Luis Pereira Ourique - UFPel-Br discutem a relação entre Literatura e Cinema na mesa "A Aparição dO vendedor de passados: literatura e cinema em língua portuguesa", mediada pelo Professor Mestre Carlos Ossanes - Doutorando UFRGS-Br, que será realizada no dia 04 de maio, às 15h de Brasília.

Gratuita, a atividade poderá ser acompanha pelo canal do SILCE – Seminário Interdisciplinar Linguagens, Culturas e Educação, no link a seguir: https://youtu.be/j7EhFNgjOBU

A atividade certificará os ouvintes que assinarem a lista de presença no dia do evento, uma parceria do SILCE com o Grupo de Pesquisa CNPq ÍCARO [Interdisciplinaridade, Crítica ao Autoritarismo, Regionalidade e Oralidade].

Resumo da mesa: Aparição (1959) é um dos romances mais emblemáticos do escritor português Vergílio Ferreira. Inserido na sua segunda fase de produção literária, marcada pelas influências do Existencialismo, de Malraux e Sartre, Aparição é uma profunda reflexão sobre o absurdo da morte e da absoluta epifania do sujeito face ao milagre de estar vivo. Adaptado ao cinema por Fernando Vendrell em 2018, o texto ganha vida no tratamento dado à personagem principal, Alberto Soares, professor do liceu, e dos seus dilemas e descobertas trágicas em Évora. Entre o livro e o filme notamos as vertigens da adaptação e as escolhas de Vendrell para fazer ecoar na tela o romance do escritor existencialista. O vendedor de passados (2004), romance de José Eduardo Agualusa, traz uma importante discussão acerca da construção de identidades – individuais e nacionais – no contexto do pós-colonialismo de Angola. O protagonista Félix Ventura vende os passados desejados pelas pessoas que querem se integrar em uma nova realidade, apagando suas histórias em nome de um futuro a ser construído com base em uma imagem, um sonho, um ideal, ou marcado pelo medo do passado. O filme brasileiro homônimo (2013) baseado na obra de Agualusa apresenta Vicente, personagem de Lázaro Ramos, como um “vendedor de passados” que procura trazer lembranças de tempos que não existiram, mas que seus clientes procuram se apegar para diluir as suas existências reais e vazias. O encontro com Clara, vivida por Alinne Moraes, faz com que Vicente seja levado a produzir um passado traumático para ela, estabelecendo uma ligação com outro contexto histórico e social: o da ditadura militar brasileira (1964-1985). Estes olhares para passados conflituosos e como as novas narrativas visam reconfigurar o presente em direção ao futuro promove uma leitura singular de dois países que sofreram com a opressão e que sentem essa necessidade de refletir sobre as ficções de suas identidades.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas