Domingo, 27 de Maio de 2018

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Publicações

Horizontes Antropológicos 53: Antropologia dos Museus

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Antropologia, Chamada para artigos, Museus e Bibliotecas

A revista Horizontes Antropológicos tem chamada de artigos abertas para a edição de número 53 com o tema Antropologia dos Museus. Os artigos podem ser escritos em português, espanhol, inglês ou francês e devem ser submetidos até 28 de fevereiro de 2018.

Organizadoras:
  • Maria Eunice Maciel | Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Regina Abreu | Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Submissão de artigos: de 01/10/2017 a 28/02/2018
Lançamento: janeiro de 2019
 

Dos "museus etnográficos" às etnografias dos museus no contemporâneo, a contribuição da Antropologia na relação com o campo dos museus é significativa. A Antropologia manteve desde seus primórdios forte relação com o campo dos museus. Seja como área de conhecimento no contexto das instituições museais de cunho enciclopédico, seja criando instituições museais articuladas com a prática etnográfica; seja construindo um olhar particular sobre as instituições museais no contemporâneo. Cada um destes movimentos, expressa um certo tipo de inserção do antropólogo nas práticas da disciplina, bem como revela momentos singulares no cruzamento da História da Antropologia e da História dos Museus. Num primeiro movimento, temos uma vertente evolucionista e positivista da Antropologia, onde a coleta de objetos e sua conservação nos museus expressavam a constituição de acervos documentais de confiabilidade para as pesquisas; num segundo movimento, temos a criação e institucionalização dos chamados "museus etnográficos" - consagrados modelos que associavam o estudo das particularidades culturais à preservação de objetos coletados durante a pesquisa de campo. Num terceiro movimento, os antropólogos passaram a se interessar por etnografar os museus como sintomas de práticas sociais e espaços de poder conjugados a regimes de valor que convertem artefatos em bens consagrados (lógicas colecionistas); expressões culturais e modos de fazer em "bens patrimoniais"; rituais em performances públicas; pessoas em "representantes" e "porta-vozes" de etnias e comunidades. O Dossiê "Antropologia dos Museus" visa reunir trabalhos sobre este campo de pesquisas e reflexões, abrindo espaço para relatos de experiências sobre a prática profissional do Antropólogo na interface com museus, seja articulados a práticas específicas dos "museus etnográficos", seja realizando "etnografias de museus no contemporâneo". O Dossiê pretende ainda abrir uma reflexão sobre a especificidade do "museu etnográfico" e as novas modalidades de museus na perspectiva antropológica como os "museus indígenas", os "museus sociais", os "eco-museus".

Horizontes Antropológicos é um periódico semestral, publicado pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
 
Seus números são temáticos e abertos à pluralidade de interpretações e de temas que possam interessar à antropologia para a compreensão dos fenômenos socioculturais. Cada numero também contempla uma seção, denominada Espaço Aberto, voltada para trabalhos que não estejam diretamente relacionados com o tema.
 
Mais informações na página da revista Horizontes Antropológicos.

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas