Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Publicações

Chamada para artigos da Revista MARLAS: Ativismo e Ação Direta Não Violenta na América Latina

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Estados Unidos

Chamada para artigos, Ciências Humanas e Sociais, Estudos Latino-Americanos

Chamada para artigos
Revista MARLAS — Middle Atlantic Review of Latin American Studies

«Ativismo e Ação Direta Não Violenta na América Latina: Teoria e Prática»

Prazo para submissões: 15 de março de 2018.

Editores convidados:
Patricia Rodríguez, Ithaca College
Jeffrey D. Pugh, University of Massachusetts-Boston

A América Latina, sede dos movimentos sociais por excelência, tem sido constante geradora de iniciativas de ação direta não violenta como instrumento para a implementação da transformação social e política. Tomando como exemplos a derrota de Pinochet no Chile, o protesto simbólico das Mães da Praça de Maio na Argentina, o ativismo ambiental no Brasil e no Peru, e a mobilização indígena no Equador, a ação politica contenciosa tem gerado um impacto importante em eventos políticos, culturais, e sociais na região, e também aberto espaços para que o poder cidadão confronte o poder do Estado y das elites. É necessário estudar estes fenômenos desde uma perspectiva interdisciplinar, inclusive as abordagens historiográficas, literárias, e artísticas que permitam iluminar a maneira como os ativistas negociam e constroem símbolos, narrativas e significados que permitem entender como é possível direcionar este poder coletivo para obter a transformação social.

Este número especial da revista MARLAS convida autores, ativistas e pesquisadores das ciências sociais, humanidades e artes para contribuir com trabalhos sobre temas de ativismo e ação direta não violenta na região. O objetivo deste número é gerar ‘pontes’ entre as perspectivas teóricas e metodológicas da academia e as perspectivas derivadas da prática e do ativismo político e social. Este diálogo entre a teoria e a prática é essencial, já que muitas vezes as vozes dos atores sociais e dos ativistas se tornam invisíveis nas discussões acadêmicas. Os seguintes temas são de muito interesse para este número especial da revista (esta não é uma lista completa, mas serve para ilustrar algumas possibilidades):

  • Teatro de rua e ocupação de espaços públicos para projetos de justiça social;
  • Eficácia da ação direta não violenta como uma intervenção na construção da paz e da transformação social;
  • A interseccionalidade como marco teórico para entender as estratégias de ativismo das comunidades e organizações afrodescendentes;
  • Estratégias e desafios do uso da política contenciosa por parte de imigrantes e pessoas em situação de deslocamento como via para alcançar objetivos políticos, sociais e ambientais;
  • Arte e literatura como instrumentos para confrontar a opressão;
  • Desenvolvimento histórico da solidariedade indígena e trabalhadora na região, e seu impacto nas transformações sócio-políticas;
  • Negociação entre movimentos sociais violentos e não violentos por controle e reconhecimento social;
  • Desafios das comunidades locais com respeito a políticas de extração mineral na região;
  • Táticas políticas e organizacionais entre movimentos locais, com a finalidade de gerar igualdade de gênero, de classe, racial ou étnica.

Os trabalhos de pesquisa (máximo 8.000 palavras), os ensaios ou notas de pesquisa (máximo de 3.000 palavras) devem seguir as instruções para autores, disponíveis na página web da revista MARLAS, uma publicação do Middle Atlantic Council of Latin American Studies (MACLAS), e devem ser enviados eletronicamente através da pagina web. O prazo máximo para envio é o dia 15 de março de 2018. A carta de apresentação que acompanha o artigo deverá indicar claramente que o texto está sendo enviado para publicação no número especial da revista.

Fonte: BRASA

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas