Segunda-feira, 16 de Julho de 2018
Publicações

Chamada de artigos: Confluenze, Rivista di Studi Iberoamericani

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Itália

Chamada para artigos, Estudos Ibero-Americanos

Chamada de artigos: Confluenze, Rivista di Studi Iberoamericani (Università di Bologna)

Número temático: Violência estatal persecutória, ideologias, terrorismo de Estado e genocídio

Coordenadores: Diogo Cunha (Universidade Federal de Pernambuco) e Julio Lisandro Cañon Voirin (Institute of Latin American Studies, Barnard College/Columbia University)

Data limite para o envio de contribuições: 28/04/2018

Idiomas aceitos: italiano, castelhano, português

 

Em uma das obras historiográficas mais importantes do século XX, Eric Hobsbawm dedica uma parte importante da sua panorâmica introdutória às linhas mestras que subjazem a história deste período: as novas formas de extermínio. Hobsbawm assinala que por serem tão inovadoras fez-se necessário estabelecer novos conceitos para referir-se a elas.  

O Estado moderno, segundo Max Weber, detém o monopólio da violência legítima, e de acordo com tal faculdade dispõe de todos os recursos legais possíveis para implementar medidas de repressão sob o controle das instituições de coerção. Contudo, o Estado pode ultrapassar as limitações correlativas ao Estado de Direito e, em função de determinadas finalidades de intimidação, pode exercer de forma sistemática, direta ou indiretamente, uma violência racionalmente dirigida para eliminar, destruir ou quando menos debilitar grupos sociais determinados. Isso supõe uma alteração fundamental em seus princípios éticos que, em princípio devem velar pela integridade das pessoas. Daí a célebre definição de Giorgio Agamben a respeito do Estado de Exceção, entendido como a suspensão da ordem jurídica, momento em que é possível a eliminação física não só de adversários políticos mas também de categorias inteiras de cidadãos que por qualquer motivo tornam-se não integráveis no sistema político.

Em que pese a proliferação das investigações, a extensão e profundidade dos estudos sobre o tema, a análise de seus alcances, raízes e projeções não está esgotada. A partir de uma metodologia multidisciplinar queremos refletir sobre os processos de violência estatal persecutória, de terrorismo de Estado e de genocídio, assim como sobre os sistemas ideológicos que os fundamentaram e os legitimaram.

O objetivo desse número temático é aprofundar a historização desses processos nos séculos XX e XXI, levando-se em conta suas similitudes e diferenças. Embora cada processo responda a circunstâncias específicas, vinculadas ao modo e ao momento em que ocorreram as práticas de violência estatal, assim como os atores envolvidos, o crime seletivo e massivo emergem como aspectos comuns de políticas estatais de reestruturação social.

Convidamos a participar todos os pesquisadores interessados em qualquer um dos enfoques, clássicos ou mais inovadores. Fazemos além disso uma chamada a contribuições que apresentem uma perspectiva comparada e que buscam dar conta dos possíveis vasos comunicantes entre distintas experiências nacionais. Para aqueles interessados em enviar artigos, informamos que o prazo para o envio é sábado 28 de abril de 2018. Os trabalhos devem ser enviados para a Redação da revista, no endereço eletrônico diplingmod.redazioneconfluenze@unibo.it

Embora não seja um requisito necessário, agradecemos o envio de um resumo da proposta aos coordenadores do número temático: Diogo Cunha (d1cunha@gmail.com) e Lisandro Cañón (juliolisandro.canon@gmail.com).

Para maiores informações as normas de publicação, indexação e características da revista, visite o site: https://confluenze.unibo.it/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas