Quarta-feira, 18 de Julho de 2018
Publicações

Chamada da Revista Gragoatá para o dossiê Monstruosas Organizações

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Brasil

Chamada para artigos, Literatura

A revista Gragoatá, do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Literatura da UFF, qualificada pela CAPES como A2,  está com chamada aberta para o número 47, dossiê Monstruosas Organizações.
 
Gragoatá 47
[v. 23, n. 47 (set-dez 2018)]

Tema: Monstruosas Organizações

Organizadoras: Claudete Daflon (UFF) e Márcia Naxara (Unesp-Franca)

Submissões de 30 de maio a 31 de agosto de 2018.
Publicação prevista para dezembro de 2018.

Ementa:
Monstruosa organização:
 assim o narrador de Til (1871), de José de Alencar, descreve Brás, personagem identificado no romance por suas alterações congênitas. Rejeição e intolerância caracterizam a reação diante de um corpo e uma conduta considerados desviantes por se afastarem de princípios que se compreendiam afeitos à civilização, ordem, normalidade e saúde. A degeneração constituiria, portanto, perda da humanidade associada ao modelo de homem civilizado na moderna sociedade ocidental. Todavia, a multiplicidade proposta pelo emprego do plural em organizações revela desdobramentos semânticos que vão desde a estrutura do corpo biológico, que inclui o órgão e o orgânico em sua relação com a noção de organismo, passando pela acepção de sociedade enquanto organização, continuando em direção ao caráter institucional de órgãos e organismos, até alcançar o Estado. A associação do adjetivo monstruosas, por sua vez, atribui a essas “composições” polissêmicas ainda outros aspectos: doença, distorção, horror, estranhamento, alteridade, gigantismo... Em contraposição ao civilizado, o não-humano surge como ameaça, seja por sua identificação à natureza não pacificada e às culturas não hegemônicas, seja enquanto expressão das mazelas da sociedade que expõem as fissuras do processo civilizatório. Estão implicadas, nesse sentido, discussões sobre a exposição e normatização do corpo; o homem e o mundo natural; a diversidade cultural; a técnica e a tecnologia; as grandes cidades; a formalização do conhecimento em suas relações com o poder; o Estado, comparado por Hobbes, em uma das primeiras teorizações sobre a nação moderna, ao grande Leviatã. Diante disso, a presente chamada dirige-se a trabalhos que, no âmbito da literatura e da cultura, contemplem o viés apresentado.


Monstrous organization: this is how the narrator of Til, a novel by José de Alencar published in 1871, describes Brás, a character marked in the narrative by his congenital alterations. Rejection and intolerance are the typical reaction to a body and a form of behavior seen as deviant because they fail to conform to the principles associated with civilization, order, normalcy, and health. Degeneration, then, would involve a loss of humanity, as defined by the model of civilized man established by modern Western society. However, the multiplicity suggested by the plural organizations points to semantic offshoots of the term that range from the structure of the biological body, including organs and the organic in its relation to the notion of organism, to the conception of society as a form of organization, the institutional dimension of organs and organisms, and finally the idea of the state itself. In its turn, the use of the adjective monstrous adds further aspects to these polysemous “constructions”: sickness, distortion, horror, estrangement, alterity, gigantism… In opposition to the civilized, the non-human presents itself as a menace, either because of its identification with a rebellious nature and non-hegemonic cultures, or as an expression of social afflictions that reveal fissures in the civilizing process. This call for papers aims for works in the fields of literature and cultural studies which conduct a discussion of monstrous organizations as outlined above. Topics may include the exposition and regulation of the body; the human and the natural world; cultural diversity; technics and technology; large cities; the formalization of knowledge in its relations with power; and the state, compared by Hobbes to the great Leviathan in one of the first theorizations on the modern nation.


Informações para autores: http://www.gragoata.uff.br/index.php/gragoata/about/submissions#onlineSubmissions

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas