Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
Publicações

Chamada para dossiê "30 anos após a “queda do muro” de Berlim: a esquerda latino-americana"

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Equador

Chamada para trabalhos, Ciência Política, Ciências Sociais

A revista Religación, de Quito (Equador) está com chamada aberta para o dossiê "30 anos após a “queda do muro” de Berlim: a esquerda latino-americana", organizado pelo Dr. Michel Goulart da Silva (IFC, Brasil).

Ementa:

Um dos acontecimentos políticos mais marcantes das últimas décadas foi a dissolução dos países no chamado “Leste Europeu”. Com a restauração do capitalismo, esses países acabaram sendo levados a um estado de crise econômica, política e social. Por outro lado, no que se refere à disputa política geral, o fim do bloco soviético permitiu uma ofensiva econômica e política dos países capitalistas, expresso no neoliberalismo levado a cabo na década de 1990.
 
O processo de restauração capitalista, que tem como marco simbólico a “queda do muro” de Berlim, impactou profundamente a esquerda em todo o mundo. Por um lado, ao perder a referência política que havia marcado suas principais disputas durante décadas, as esquerdas não conseguiram oferecer resistência à ofensiva neoliberal. Por outro, manifestou-se uma profunda crise teórica, com ataques explícitos ao marxismo e alguns de seus conceitos centrais, como a ideia de luta de classes. Os modelos teóricos e organizativos tradicionais, como a forma leninista de partido ou as elaborações teóricas dos mais influentes pensadores e lideranças políticas, foram questionados e até mesmo abandonados dentro da própria esquerda.
 
Nesse processo, partidos de esquerda, comunistas e socialdemocratas, aderiram a governos em países centrais na Europa, passando a aplicar o projeto neoliberal. Na América Latina não foi diferente, se forem consideradas as políticas de austeridade aplicada por governos peronistas na Argentina ou do Partido dos Trabalhadores no Brasil. Em alguns países, os partidos comunistas entraram em crise, dando giros à direita ou até mesmo se dissolvendo em agremiações que rompiam abertamente com o referencial marxista, como no caso da maioria dos comunistas brasileiros, que deram origem a um partido burguês, no começo da década de 1990. Mas, apesar dessa da crise organizativa e do recuo teórico, se construíram diferentes alternativas políticas e organizativas, tirando a centralidade das mobilizações do proletariado e apresentando formulações teóricas alternativas ao marxismo, expresso em movimentos e partidos como o MAS, na Bolívia, o PSUV, na Venezuela, e o Alianza País, no Equador.
 
Este dossiê pretende reunir contribuições que reflitam acerca desse processo de organizações e reorganização das esquerdas, verificando tanto as permanências como o seu processo de reinvenção, em um período que compreende desde a crise sofrida com “queda do muro” até a consolidação dos governos progressistas do Equador e da Venezuela.
 
Temas de especial interesse:
 
  • Impacto político da queda do Muro de Berlim na esquerda latino-americana;
  • Impacto teórico-político da queda do Muro de Berlim na esquerda latino-americana;
  • Rupturas e continuidades nas formas de organização da esquerda;
  • O debate acerca do fim do Leste Europeu dentro das esquerdas;
  • Experiências de governos progressistas e de direita com participação das esquerdas.
 
Os textos devem ser enviados até o dia 15 de junho de 2019 para os endereços: anabelenbenalcazar@religacion.com / info@religacion.com, seguindo as indicações de formatação, disponíveis no link: http://revista.religacion.com/assets/normas-presentaci%C3%B3n-trabajos-2016.pdf.

Idiomas do Dossiê: espanhol, português, inglês

Mais informações no site da revista Religación.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas