Quinta-feira, 26 de Abril de 2018

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Financiamento/bolsas/emprego

Programa de Doutoramento em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Antropologia, Bolsas, Doutoramento, Museologia, Património Cultural, Património Imaterial

O Programa de Doutoramento em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia foi seleccionado no âmbito do concurso para financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, IP (FCT), tendo-lhe sido atribuídas 8 bolsas de doutoramento (4 bolsas nacionais e 4 bolsas mistas). As candidaturas estão abertas até 31 de janeiro de 2018.

O Programa visa fornecer uma aproximação simultaneamente diversificada e crítica aos processos contemporâneos de produção e reprodução de formas culturais e formar investigadores e profissionais altamente qualificados, com particular foco no Património Cultura Imaterial. A par da incidência nas práticas culturais e no Património Cultural Imaterial em Portugal, o programa visa também outros contextos de pesquisa em três eixos geográficos: países do Mediterrâneo, Brasil e países africanos de língua oficial portuguesa.

O programa é promovido conjuntamente pelo ISCTE-IUL e pela FCSH-NOVA, em articulação com três centros de investigação – CRIA-IUL, INET/FCSH-NOVA e IELT/FCSH-NOVA – com pesquisa consolidada nas áreas da antropologia, etnomusicologia e literaturas tradicionais.

Destinatários e eligibilidade

O programa destina-se a indivíduos empenhados em desenvolver investigação na área da Antropologia. Os alunos do programa deverão dominar o inglês falado e escrito.

Podem candidatar-se ao presente concurso:

  • Cidadãos nacionais ou cidadãos de outro estado membro da União Europeia;
  • Cidadãos de estados terceiros, detentores de título de residência válido ou beneficiários do estatuto de residente de longa duração, nos termos previstos na Lei n.º 23/2007, de 4 de julho, alterada pela Lei nº 29/2012, de 9 de agosto;
  • Cidadãos de estados terceiros com os quais Portugal tenha celebrado acordos de reciprocidade;
  • Cidadãos que residam de forma permanente e habitual em Portugal, caso o plano de trabalhos da bolsa requerida decorra, total ou parcialmente, em instituições estrangeiras (bolsas mistas ou no estrangeiro – aplicável a cidadãos nacionais ou estrangeiros).

Para concorrer é necessário ter concluído, até à data de submissão da candidatura, o grau académico de mestre ou, em alternativa:

  1. ter o grau de licenciatura e ser detentor de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido, pelo órgão científico legal e estatutariamente competente da universidade onde pretendem ser admitidos, como atestando capacidade para a realização de ciclo de estudos conducente ao grau de doutor;
  2. ser detentor de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização de ciclo de estudos conducente ao grau de doutor pelo órgão científico legal e estatutariamente competente da universidade onde pretendem ser admitidos;
  3. não ter beneficiado de uma Bolsa de Doutoramento ou de Doutoramento em Empresas diretamente financiada pela FCT, independentemente da sua duração.

Mais informações em https://www.iscte-iul.pt/curso/111/doutoramento-antropologia-politicas-imagens-cultura-museologia.

Fonte: cria.org.pt

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas