Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018
Congressos

XIX Congresso da Associação de Historiadores Latino-Americanistas e Europeus

Início: Fim: Data de encerramento: Países: França

Chamada para STs, Chamada para trabalhos, Estudos Latino-Americanos, História

A Associação de Historiadores Latino-Americanistas e Europeus (AHILA) convida à participação no XIX° Congresso da AHILA, que ocorrerá em Paris de 1° à 4 de setembro de 2020. A Universidade Paris 1 – Panthéon-Sorbonne e o Campus Condorcet - que então será o maior centro europeu de pesquisas em Ciências Sociais – acolherão os simpósios e as conferências em torno da temática dos laços sociais, de suas linguagens, experiências e temporalidades na América Ibérica.

Após a decisão tomada na Assembléia Geral do XVIII Congresso AHILA, realizada em Valência em setembro de 2017, o XIX Congresso AHILA 2020 será organizado pela CRALMI-Universidade Paris 1 Pantheon Sorbonne-UMR "Mondes Americains" (EHESS- CNRS) - e abordará o tema:

Pensar os laços sociais na América Ibérica. Linguagens, experiências e temporalidades (Século XVI – século XXI)

 

Apresentação

Da época da Conquista e da colonização aos nossos dias, os laços sociais foram extraordinariamente intensos, complexos e conflituais na América Ibérica. É possível explorar a linguagem social da solidariedade e da desunião, e de se interrogar como, desde o fim do século XIX, as ciências e a psicologia social oscilaram entre discursos, enquetes e conceitualizações segundo uma tentativa sempre renovada de dar conta das especificidades, das patologias e das adaptações de sociedades de mais a mais diverisificadas. Enquanto elemento substancial do laço social, a memória coletiva pode ser abordada segundo uma perspectiva historiográfica que explora a diversidade de seus motivos e de suas manifest ações ao longo dos cinco últimos séculos.

Durante toda a época colonial e além desta, a religião católica, com seus monges e seus padres, suas crenças, símbolos e ritos coletivos, suas confrarias e seus hospitais, gerou práticas do viver juntos e das expressões de sincretismo, ela igualmente formulou discursos normativos e fez da família sacralizada o fundamento da ordem social e política. Paralelamente, atores de origem social e étnica muito diversas se apropriaram do direito e da justiça para afrontar a multitude de fricções, disputas e conflitos da vida cotidiana. Numerosas foram as revoltas surgindo de identidades e de reveindicações coletivas contra outros grupos igualmente solidários, enquanto que os escravos fugitivos construíam comunidades da qual a marginalidade não os impedia de produzir formas específicas de laço social.

Desde o século XIX, a irupção da modernidade política e o advento do indivíduo, a diversificação das economias, a imigração européia e asiática, a urbanização e os processos de secularização transformaram profundamente tanto a linguagem quanto as experiências do social. O universo das relações de proximidade se dissociou das trocas econômicas. O trabalho assalariado e a fábrica, as associações mutualistas e os sindicatos surgiram como lugares de interdependência social. A “questão social”  se pôs como ameaça contra a ordem social enquanto que o rádio, o cinema, os esportes criavam imagens e espaços inéditos de solidariedade e de trocas socio-cultural. Enfim, convém de se interrogar sobre o papel desempenhado pelos mais diversos meios de comunicação – e até os dias atuais – na construção, na renovação e na preservação dos laços sociais.

Datas importantes

  • 15 de fevereiro de 2019: prazo para a apresentação de propostas de simpósios
  • 15 de abril de 2019: Comunicação da seleção de simpósios aprovados
  • 1º de julho de 2019: Abertura de inscrições para participar do Congresso e reservas de hospedagem
  • 3 de setembro de 2019: data limite para envio de propostas para artigos
  • 15 de novembro de 2019: Divulgação dos trabalhos aprovados
  • 1º de maio de 2020: Divulgação de uma versão evolutiva do programa do congresso com todas as atividades no site
  • 1-4 de setembro de 2020: Reunião do XIX Congresso de AHILA

Comitê Organizador do XIX Congresso AHILA

  • Annick Lempérière, Professeur d'Histoire de l'Amérique latine, Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, directrice du CRALMI, membre du laboratoire Mondes Américains et responsable de l'organisation du congrès.
  • Véronique Hébrard, Professeur d’histoire et civilisation de l’Amérique latine, Université de Lille, membre du laboratoire Cecille EA 4074
  • Geneviève Verdo, maître de conférences en histoire de l’Amérique Latine, Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, membre du CRALMI et du laboratoire Mondes Américains.
  • Diana Ospina, Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, membre du CRALMI et du laboratoire Mondes Américains.


Mais informações: https://ahila2020.sciencesconf.org/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas