Domingo, 30 de Abril de 2017

Um projeto de

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Congressos

Segunda Conferência Internacional da “Oficina de História Moçambique”

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Moçambique

Chamada para trabalhos, História, Estudos Africanos, Chamada para painéis

Segunda Conferência Internacional da “Oficina de História Moçambique”
“Escravidão, Tráfico de Escravos e a formação de Moçambique”
Fortaleza de Maputo
27 – 28 Outubro, 2017

 

A “Oficina de História Moçambique” está a organizar a sua segunda conferência internacional anual em colaboração com The Harriet Tubman Institute for Research on Africa and its Diasporas, York University (Canadá), o Arquivo Histórico de Moçambique, o Centro de Pesquisa em Ciências Sociais e Filosóficas da Universidade Pedagógica de Moçambique e a Fortaleza de Maputo. O tema da conferência deste ano é “Escravidão, Tráfico de Escravos e a formação de Moçambique”. A “Oficina de História Moçambique” é um grupo de investigação académica com sede em Maputo, no qual pesquisadores nacionais e internacionais pretendem contribuir para a investigação e debates em curso sobre a história de Moçambique, bem como sobre a história da África e suas diásporas. É um espaço colaborativo e interdisciplinar para a investigação histórica, cuja conferência anual é uma oportunidade privilegiada de encontro para o compartilhamento de projetos de pesquisa concluída e em curso.

Este ano, a conferência busca trazer diferentes perspectivas de análise sobre as inferências diretas e indiretas criadas pela instituição da escravidão em Moçambique desde os primórdios até os tempos atuais. Nesse contexto, convidamos especialmente a submissão de propostas que se envolvam em uma dimensão histórica de carácter interdisciplinar sobre a escravidão e o tráfico de escravos no sudeste da África, e mobilizem coleções especiais de pesquisas disponíveis em instituições internacionais ou em arquivos privados e públicos, envolvendo explicitamente questões relacionadas com a escravidão, tráfico de escravos, resistência, abolição e seus legados em Moçambique. Os organizadores da conferência também receberão propostas de trabalhos que analisem as formas como a instituição da escravidão é lembrada, pesquisada, ensinada e publicamente apresentada. Acadêmicos, estudantes de graduação, pesquisadores independentes, educadores e historiadores locais pesquisando sobre Moçambique e história africana são convidados a submeter suas propostas de trabalho. A Conferência realizar-se-á nos dias 27 e 28 de Outubro na Fortaleza de Maputo, Moçambique.

O comitê organizador procura trabalhos individuais, painéis temáticos, mesas-redondas e workshops relacionados com os seguintes temas:

  • Historiografia sobre a escravidão em Moçambique

  • Métodos de pesquisa histórica usados nos estudos sobre escravidão e tráfico de escravos

  • Interpretação cartográfica e arqueológica das rotas dos escravos

  • “Raça”, assentamento e demografia

  • Sociedades africanas e a antropologia da escravidão

  • Rotas de escravos e zonas de escravidão no Este e Sudeste de África

  • Tráfico de escravos do Sudeste de África nos Oceanos Atlântico e Índico

  • Administração, investimentos e transações de escravos

  • Transporte de escravos, cidades portuárias e histórias das ilhas moçambicanas

  • Famílias de escravos, género e trabalho forçado

  • Escravos, libertos e abolição

  • Senhores de escravos e redes comerciais

  • Trabalho de escravos e dos condenados nas antigas colónias portuguesas de África: abordagens comparativas

  • Ciência, medicina e sistema de crenças espirituais

  • Diários, narrativas de viagem e culturas visuais da escravidão

  • Movimentos contra a escravidão e o colonialismo português

  • Formas modernas e contemporâneas de escravidão em Moçambique

  • Biografias, autobiografias e tradições orais da escravidão em Moçambique

  • Preservação arquivística, sítios de memória, educação e tecnologias de informação aplicadas à pesquisa histórica (digital history)

  • O Projeto ‘A Rota do Escravo’ em Moçambique: Investigação, Métodos e Efectividade

As propostas de comunicações individuais devem incluir as seguintes informações: nome(s) do(s) autor(es); afiliação institucional; e-mail; título; um resumo com um máximo de 250 palavras. As propostas de painéis temáticos, mesas-redondas e workshops devem incluir, para além de um título e de um resumo com um máximo de 250 palavras, os mesmos elementos já mencionados de cada participante.

As propostas de apresentações podem ser em português ou inglês.

As propostas devem ser remetidas via e-mail para ohmoz2017@gmail.com com o assunto: “Escravidão, Tráfico de Escravos e a Formação de Moçambique”. Serão consideradas para apreciação pelo comitê organizador todas as propostas submetidas até o dia 1 de julho de 2017. A decisão sobre a (não) aceitação das propostas será comunicada até o dia 15 de julho de 2017.

Informações sobre as taxas de inscrição da conferência para os participantes serão anunciadas em breve. Entretanto, as manifestações de interesse e eventuais dúvidas/questões podem ser enviadas para ohmoz2017@gmail.com.

Mais informações na página da Oficina de História Moçambique

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas

Locations of visitors to this page