Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
Congressos

I Congresso Internacional Morte: Leituras da Humana Condição

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Chamada para trabalhos, Ciências Humanas e Sociais

O IEAC-GO Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo e Globalização convida para a submissão de propostas ao I Congresso Internacional Morte: Leituras da Humana Condição, a ter lugar nos dias 21 a 24 de fevereiro de 2019 no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, Portugal.

Apresentação

Percebendo a morte como um limite intransponível, os antigos definiram o humano como um ser mortal. Esse primeiro princípio universal tornou-se o fundamento de toda uma ordem simbólica. Efetivamente, pode ler-se a história das sociedades humanas como um conjunto de narrativas que tendem a dar vida ao sonho de imortalidade, assegurando a perenidade da ordem social através da passagem das gerações.

O que é que acontece a uma sociedade em que a morte passa do estatuto de fundamento ontológico (um fenómeno natural) ao de simples contingência histórica (um evento a evitar a todo o custo)? Uma sociedade plenamente comprometida em acabar com a morte, que considera o envelhecimento como uma doença, em que a vontade de prolongar indefinidamente a sua vida substitui o desejo de alcançar a imortalidade num além, e em que o horizonte a alcançar é o sucesso da tecnociência e não a espera da morte?

Esta sociedade, que Céline Lafontaine chama de «pós-mortal» porque afasta do horizonte a perspetiva da morte, também altera radicalmente o sentido da procriação e da transmissão da vida – por um lado, destruindo, no plano antropológico, a ordem geracional que funda a história humana e, ao mesmo tempo, no plano sociológico, procurando instituir uma nova forma de vida comunitária centrada na obsessão pela saúde e pelos cuidados de saúde. De facto, os estudos sobre o envelhecimento das células, associados ao progresso nas transplantações, conservação e produção de órgãos, abrem perspetivas para uma vida mais longa, com uma duração indeterminada.

É neste quadro teórico que nos propomos organizar o I Congresso Internacional IEAC-GO, abordando o tema da morte num amplo leque interdisciplinar, privilegiando, é certo, as ciências sociais humanas, mas sem descurar as artes, as ciências médicas e as novas tecnociências. Este evento irá decorrer no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, entre os dias 21 e 24 de Fevereiro de 2019.

 

Objetivos

  • Compreender as mudanças profundas em curso na(s) sociedade(s) atual(ais), relativamente ao tema da morte.
  • Procurar entender como é que a velhice, associada à morte e à degeneração, passou a ser entendida como uma doença – ou até uma «praga» – contra a qual é preciso lutar (a luta anti-idade, graças aos progressos biomédicos e à chamada «biogerontologia»).
  • Dar-se conta da emergência de um biopoder e de uma bioeconomia (biovalor, biocapital) e de um biocontrolo (transplante de órgãos, terapias genéticas, fabrico de tecidos de substituição, engenharia genética, etc.). Uma medicina regenerativa que não procura apenas acura, mas o prolongamento da vida.
  • Definir medicamente a morte: morte cerebral, morte funcional, morte orgânica, morte tecidual…
  • Escutar várias «narrativas» acerca da morte: nos achados arqueológicos, na arte, na literatura, na música, no cinema, etc.
  • As cerimónias funerárias, em diferentes culturas, nas religiões. Enterrar os mortos: uma obra de misericórdia. Práticas funerárias atuais. A cremação, implicações jurídicas e alcance social (o desaparecimento dos corpos).
  • Perceber em que medida a morte também pode ser uma libertação (a tradição platónica, mas também em certas fundamentações acerca da eutanásia).
  • A morte na cidade (organização urbanística e cemitérios).

 

Painéis temáticos

1.       TEOLOGIA MORTE E EXISTÊNCIA

a)       Fátima e Morte 
b)      Esperança e Morte
c)       A Morte no Vaticano II e nos Documentos Pontifícios
d)      Morte nos textos bíblicos
e)       Morte nas religiões não cristãs
f)       A escatologia

2.       PSICOLOGIA

a)       O luto
b)      A tanatologia
c)       Morte e Desenvolvimento humano
d)      O suicídio

3.       FILOSOFIA

a)       Tempo e morte
b)      Pensar a cultura desde a morte
c)       A existência, esperança e morte
d)      Pensar(es) filosófico(s) sobre a morte

4.       ANTROPOLOGIA E SOCIOLOGIA

a)       Representações sociais da morte
b)      História antropológica e social do morrer
c)       Culturas diversas, diversos conceitos de morte
d)      Agrupamentos humanos e a morte e os funerais
e)       Atitudes, crenças e símbolos na relação com a morte

5.       HISTÓRIA

a.       A ação das Misericórdias Portuguesas
b.      Os cemitérios: um repertório multifacetado do comportamento humano
c.       A morte na história portuguesa e história do mundo
d.      Relação do homem com a morte ao longo da história

6.       MEDICINA

a.       Cuidados Paliativos
b.      Eutanásia, Distanásia e Ortonásia
c.       Relação medicina e envelhecimento
d.      As novas tecnologias aplicadas à medicina e finitude

7.       POLÍTICA, DIREITO E ECONOMIA

a.       Organização urbanística e os cemitérios
b.      Conexão de políticas sociais e a morte
c.       Memória, dor e funeral e suas relações com a cultura e sociedade
d.      Relação modelos políticos/morte/qualidade de vida
e.       Personalidade e Morte
f.        A Pena de Morte
g.       Legislação
h.      Cenários micro e macroeconómicos em torno da morte e ocultação social da finitude.
i.         O contexto económico dos funerais
j.         Relação de políticas económicas e morte

8.       ARTE

a.       A morte na literatura
b.      A morte na música
c.       A morte na dança
d.      A morte no cinema
e.       A morte na pintura
f.        A morte na escultura


Comunicações

Proposta de comunicação: O IEAC-GO recebe Propostas de Comunicações até dia 15 de Setembro de 2018. Todos os proponentes de comunicação deverão, previamente à entrega da Proposta, proceder à Inscrição do Congresso, enviando o comprovativo de pagamento de Inscrição. As referidas Propostas deverão ser enviadas para o e-mail geral@congressointernacionalmorte.pt, acompanhadas da seguinte documentação:

§  resumo da comunicação (máx. 2500 caracteres sem espaços);
§  cinco palavras-chaves;
§  resenha biográfica (máx.15 linhas).

 As Propostas de Comunicações serão avaliadas pela Comissão Científica do Congresso. Todas as Propostas de Comunicações poderão enquadrar-se num dos referidos enquadramentos:

a)       Aceite para comunicação;
b)      Aceite para integração no dossier do Congresso, como artigo científico;
c)       Não aceite.

Até ao dia 15 de outubro de 2018, será comunicado a cada proponente de comunicação o parecer relativo à proposta recebida.

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas