Domingo, 22 de Outubro de 2017

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Congressos

Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Chamada para trabalhos, Arte, Ciências Humanas e Sociais, Género, Estudos Luso-Afro-Brasileiros, Estudos Luso-Brasileiros, Lusofonia

A conferência internacional Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência acontece nos dias 27 e 28 de outubro na Universidade Nova de Lisboa. O evento tem como objetivo principal debater de um modo transdisciplinar as questões de género no panorama artístico de países lusófonos contemporâneos (século XXI). Os investigadores interessados em participar com trabalhos têm até 1º de Agosto de 2017.

A conferência integra-se num conjunto de eventos organizados pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado (MNAC-MC), pelo Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Universidade de Évora (UE) e Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS.NOVA) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/UNL).

Esta conferência pretende reunir pessoas de diferentes países das lusofonias,  vindas da academia, do ativismo e de outras áreas, para refletirem e dialogarem, de um modo crítico, transdisciplinar e sistémico, sobre a questão do género no foro da arte e da cultura contemporâneas.  

As contribuições devem focar-se na área das artes e da cultura e abordar, entre outras questões relevantes:

  • O cruzamento da arte focado no género com perspetivas feministas, LGBTI, queer e pós-colonialistas;
  • Representações de corporalidades e performatividades que questionam as categorias fixas de sexo, género, identidade sexual e desejo fazendo emergir novos discursos culturais identitários de subjetivação e autodeterminação, assertivos e autónomos;
  • O género enquanto dimensão intrinsecamente ligada a outras, como a raça, a orientação sexual, a classe, a cultura, a idade, a (dis)capacidade e a educação, que conjuntamente produzem dinâmicas interacionais específicas hierarquizadas;
  • Num mundo globalizado, a combinação, de modo diversificado e complexo, de múltiplos hábitos sexuais e regimes de género, vindos de pessoas com diferentes pertenças no que respeita à cultura, nação e religião, multiplicam as configurações e variações das dimensões de género em que é possível viver;
  • O modo como os corpos das minorias descriminadas como as mulheres, os gays, as lésbicas, transgénero e transsexxuais, entre outros, são afetados pela desigualdade de género que os oculta;
  • Histórias de vida - herstories, e queerstories – em espaços e temporalidades concretas  que mostram por meio de múltiplos suportes artísticos as suas vivências, passando-as do silêncio à representação revelando o que anteriormente fora proibido, escondido e ignorado no campo do desejo e da sexualidade;
  • A dimensão de género na esfera íntima - nas relações, decisões e gestos da vida quotidiana - enquanto espaço onde se exerce o poder;
  • Grupos culturais alternativos ligados ao apoio e divulgação de práticas artísticas centradas em identidades não heteronormativas sublinhando e revelando as ficções, as construções sociais e relações de poder em torno das categorias de género binárias;
  • Os discursos que defendem a ‘naturalidade’ das identidades e sexualidades normativas que procuram impor;
  • O «devenir» (tornar-se, transformar-se) beauvoiriano do género –desvendando as estruturas e processos responsáveis pela própria formação do género;
  • O pós-pornográfico enquanto discurso e espaço de afirmação da vontade de criação que se distancia e recusa o discurso pornográfico heteronormativo;
  • Personae e máscaras de género que rompem e questionam os discursos sociais, nomeadamente os dos meios de comunicação de massas, considerados responsáveis pela alienação, deturpação e criação de estereótipos de género, e pela percepção das sexualidades como meras mercadorias dessubjectivadoras.

Mais informações através do e-mail generonaarte2017@gmail.com e na página da Conferência Internacional Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência.

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas