Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Fundação Calouste Gulbenkian
Associação Internacional de Lusitanistas

Saber mais

Congressos

Congresso Internacional A Lição dos Clássicos em Camilo Castelo Branco

Início: Fim: Data de abertura: Data de encerramento: Países: Portugal

Literatura, Chamada para trabalhos, História, Humanidades, Ciências Humanas e Sociais, Letras

O Congresso Internacional A Lição dos Clássicos em Camilo Castelo Branco acontece de 12 a 14 de abril de 2018 na Universidade Católica Portuguesa, em Braga. O evento tem como foco a relação privilegiada de Camilo Castelo Branco com a Antiguidade Clássica. O prazo máximo para o envio de resumos de trabalhos é o 22 de Dezembro de 2017.

Apresentação e linhas temáticas

A extensa obra de Camilo Castelo Branco, sobretudo a narrativa ficcional, tem sido objeto de diversas abordagens temáticas e estudada a partir de múltiplas perspetivas, nomeadamente a literária, a histórica, a cultural e a sociológica. No entanto, pela sua enorme riqueza e complexidade, ainda carece de outras visões renovadoras.

Um dos domínios em que a obra do autor de S. Miguel de Seide não tem sido analisada como merece é o das fontes clássicas que constantemente afloram e enriquecem a sua escrita. De facto, a obra literária deste grande clássico de Oitocentos constitui um vasto repositório de matrizes clássicas, atualizando assim a presença da Antiguidade greco-latina: “Não faltam nas novelas de Camilo citações, às vezes infiéis, de clássicos latinos (...). Não faltam alusões, mais ou menos justas, em regras sóbrias” (Jacinto do Prado Coelho).

Face a esta lacuna dos estudos camilianos, consideramos muito oportuno estudar as diversas formas de pervivência da herança clássica na obra de Camilo Castelo Branco, abarcando a multiplicidade das formas, registos e funções que esse atuante diálogo com as literaturas greco-latinas reveste no universo camiliano. Pela boca de uma heroína romântica, lê-se em A Filha do Arcediago: “Eu faço versos; a musa favorece-me: o Pégaso voa comigo à apolínea fonte e converso com os deuses na Castália”.

Centrando-nos na relação privilegiada de Camilo Castelo Branco com a Antiguidade Clássica, propomo-nos investigar essa relação prolongada e fecunda, desvendando alguns caminhos de releitura da sua obra, através da valorização da memória e do diálogo que assiduamente o escritor explora com essa viva tradição. Escreveu, a propósito, o Prof. Américo da Costa Ramalho: “com o estudo das citações latinas e das alusões às literaturas grega e romana que se leem nos seus livros podia escrever-se um trabalho de algumas centenas de páginas”.

Dentro de um horizonte intertextual e comparatista, entre outras manifestações da “lição dos clássicos gregos e latinos” (A Queda dum Anjo), sobressaem modos e processos bem diversos de diálogo com o legado clássico, com destaque para os seguintes tópicos:

  •     Revisitação de narrativas míticas
  •     Reutilização de topoi e de exempla
  •     Reescrita de temas e motivos
  •     Composição de personagens
  •     Formas de intertextualidade (da citação à alusão)
  •     Ambivalência de registos – da auctoritas à paródia
  •     Funções da cultura e da literatura greco-latina
  •     Cultura clássica, valores e mundividência
  •     Os professores e estudantes de Latim
  •     Imagens do Bom Jesus do Monte

Mais informações na primeira circular do congresso em anexo e na página do Congresso Internacional A Lição dos Clássicos em Camilo Castelo Branco.

Informação relacionada

Outras webs de referência
Enviar Informação

Mapa de visitas