Domingo, 23 de Setembro de 2018
Congressos

Colóquio Poepolit “O poético e o político na actualidade”

Início: Fim: Países: Galiza, Portugal

Cultura, Eventos, Literatura

Colóquio Poepolit
“O poético e o político na actualidade”
20, 21 de setembro de 2018
Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Oradores convidados: Ana Luísa Amaral e Antonio Méndez Rubio

“L’écrivain est en situation dans son époque: chaque parole a des retentissements. Chaque silence aussi”. Esta frase de Sartre ainda não perdeu a sua actualidade, sobretudo em relação à crise migratória dos nossos dias. Mas também é preciso lembrar que a queda do Muro de Berlim deu início a uma crise intelectual, associada ao final de uma época. Nasceu a necessidade de deixar para trás certos mitos culturais, coloniais e nacionalistas, e esta mudança fez-se acompanhar pelo sentimento de desilusão que Walter Benjamin designara por “melancolia da esquerda”. A poesia não ficou à margem destas e de outras mudanças fundamentais e, nas palavras de Gabriel Zaid, “pode ser tão útil ou inútil para ilustrar o mundo como a prosa”, especialmente no que diz respeito à conveniência de mudanças sociais, políticas, económicas, etc.

Neste sentido, este Colóquio Internacional, uma iniciativa do projecto de investigação POEPOLIT da Universidade de Vigo e do Grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (FLUP), pretende estudar alguns aspectos centrais do carácter político de expressões poéticas actuais no Ocidente. A partir de análises textuais e do estudo de fenómenos intermediais, queremos discutir se a poesia e os poetas deveriam ser mais amplamente reconhecidas/os como agentes portadores e potenciais conformadores de uma visão ou epistemologia especial; queremos avaliar qual é a sua influência sobre a sociedade e, em caso afirmativo, saber se a sociedade reconhece essa influência. Pretendemos identificar as consequências ou os riscos implícitos para uma expressão poética que se assume como apolítica ou ‘separada’ da sociedade; e queremos saber como podem expandir-se os atuais horizontes do político através de novas linguagens e de novos acontecimentos poéticos e críticos, sejam estes verbais, intermediais ou interartísticos.

Interessam-nos as práticas de mediação poética e a sua incidência política; as práticas de intervenção política, particularmente nos repertórios de protesto dos movimentos sociais contemporâneos; a relação entre poesia e política a partir da noção e figura autoral; e ainda a relação entre poesia e política na cidade neoliberal.

No contexto da investigação em poesia contemporânea, é usual encontrar perspectivas diversas sobre a relação que se estabelece entre a poesia e os regimes identitários, estéticos ou ideológicos. Indo para além de qualquer aproximação textualista, seja concebendo a poesia como exemplo da produção cultural contemporânea, seja como bastião de resistência ante ideias e práticas que buscam homogeneizar as experiências de vida, consideramos essencial problematizar as formas de poesia ou as expressões poéticas em contacto com o social e o político.

Mais informações: http://poepolit.ilcml.com/

Informação relacionada

Enviar Informação

Mapa de visitas